ENTREVISTA COM EDUARDO COUTINHO

Jane Paiva

Resumo


A seção deste número reedita uma entrevista feita em 7 de agosto de 1999 com o cineasta Eduardo Coutinho, que participava, documentando, da experiência de moradores do bairro de Rancho Fundo, em Nova Iguaçu, associados em luta por direitos que lhes assegurassem melhores condições de vida. Coutinho registrou por duas vezes, com seu olhar especial, a realidade do mundo na expressão desses moradores e, por isso, sua entrevista integrou a publicação Bem pra lá do fim do mundo , editada pelo CECIP . Resgatar essa entrevista teve a concordância de Claudius Ceccon, diretor executivo da ONG, para que Teias prestasse justa homenagem ao cineasta, o que se justifica, pelo lugar que Coutinho alcançou no filme documentário no país e internacionalmente. Sua abrupta ausência entre nós se atenua com a leitura redizível de seu pensamento arguto e rigoroso, o que gera reflexões instigantes a pesquisadores, especialmente os que se dedicam a conhecer e compreender sujeitos de práticas culturais e dos cotidianos das escolas. A leitura da entrevista remete, ainda, ao desejo de que o cinema e a ética que Coutinho imprimiu ao filme documentário se estenda a outros recursos que lidam com linguagens diversas, com imagens, em processos de aprender por toda a vida, continuadamente. O texto transcreve o livro, com pequena edição, mas resguardando as ideias de Coutinho, entrevistado por Jane Paiva, que sistematizou a longa entrevista concedida.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional