ONDE A LUTA ENSINA: OLHOS DE APRENDIZ NO MOVIMENTO SOCIAL

Jane Paiva

Resumo


A participação de pesquisadores em um movimento social permite compreender e (res)significar muitos saberes que só ganham sentido se vivenciados no interior de grupos e na realidade dos sujeitos que vivem as carências que afetam, cotidianamente, seus modos de viver. O artigo aborda o tema, derivado de uma intensa experiência pessoal, buscando revelar sentidos que um movimento social assume ao lidar com as sempre novas carências das populações pobres, cujos direitos negados são ainda visíveis na década de 1990. Nessa busca, emergem conhecimentos e poderes, desafiando a compreensão de algumas categorias – luta e festa, por exemplo –, para além do movimento social. Essas categorias se impõem como indispensáveis para o alargamento do campo da educação de jovens e adultos e das possibilidades de transformar, pela ação histórica dos sujeitos, a vida cotidiana.

Palavras-chave


movimento social; cotidiano; luta

Texto completo:

Texto completo [PDF]

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional