Intellèctus

A Intellèctus destina-se à publicação de pesquisas originais, estudos de historiografia e reflexões teórico-metodológicas relativas à História dos Intelectuais e à História Intelectual, bem como à divulgação de análises acerca da produção cultural dos países que compõem o universo da “Latinidade”.

e-ISSN: 1676-7640 | Ano de criação: 2002 | Área do conhecimento: História | Qualis: B3 (História)


Imagem para capa da revista

CHAMADA PÚBLICA DE ARTIGOS 

------- PRORROGADO  ------

LIVRES

 

Os artigos submetidos até o dia 10 de setembro de 2018

serão analisados para compor a edição 2018/2.

 

DOSSIÊS

DOSSIÊ 2018/2: Intelectuais e cristianismo

Organização: Marcos Caldas (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro) e Marcelo Timotheo (Universidade Salgado de Oliveira)

Como o Judaísmo, que lhe deu origem, e o Islã, alguns séculos mais jovem, ao Cristianismo é associada a expressão “religião do Livro”. Religião da palavra ou, para os fiéis, da Palavra inspirada; credo no qual, desde seus tempos primitivos, crer é também interpretar.  Busca de sentido que se desdobra, fazendo-se, ela própria, discurso. Afinal, a fé cristã, segundo expresso mandato evangélico (Mt 28, 16-20), concebe a si mesma como missionária, apologética, conquistadora de almas e de espaço na praça pública.

A partir do exposto acima, a presente proposta de número temático quer iluminar a relação entre as várias tradições cristãs e os intelectuais. Deseja-se, pois, incentivar o debate sobre as relações entre Cristianismo – fé do Livro – e homens e mulheres da palavra escrita, crentes ou descrentes. Com isso, pretende-se discutir textos tributários da fé cristã ou que com ela dialogam, em múltiplos contextos, privilegiando-se a diversidade de sentidos, traduções e apropriações dos discursos cristãos e de seus interlocutores através dos séculos.

Data limite para submissão de artigos: 10 de setembro de 2018.

 

DOSSIÊ 2019/1: Narrativas históricas e narrativas literárias - entre a crítica e a escrita da história

Organização: Ana Nemi (Universidade Federal de São Paulo) e Mirhiane Mendes de Abreu (universidade Federal de São Paulo)

As aproximações e dissonâncias entre a história e a literatura têm sido objeto de intensos debates e disputas nos últimos trinta anos, especialmente no que diz respeito à definição das fronteiras entre história e ficção, ou, dito em outras palavras, à  possível trajetória autônoma da literatura em relação aos seus contextos de produção. Esse número da revista Intellèctus se propõe a aprofundar tal debate a partir de estudos de autores e/ou obras ficcionais que problematizem as fronteiras entre história e ficção. Acredita-se aqui que, se de um lado cabe historicizar a obra literária, seu autor e seus personagens, também é interessante indagar ao autor e à sua narrativa sobre os conteúdos que tensionam as determinações do tempo. A pesquisa nos textos literários e sobre a polêmica trajetória dos seus autores como objeto de crítica, em meio à sintaxe e economia interna da narrativa, revelam testemunhos históricos que complexificam o entendimento de conjunturas históricas e de temas que, muitas vezes, extrapolam essa mesma conjuntura. É nesse sentido que cabe submeter os possíveis “inexplicáveis” do texto literário à inquirição do historiador e do crítico literário. Dessa forma, se é relevante estudar a obra literária em seu contexto, também é importante buscar diálogos de tempos e experiências distintas a partir dela. Parafraseando Mário de Andrade, em seus profícuos estudos da obra de Kiesserling, narrativas literárias podem guardar diálogos entre o lugar e o mundo que permitem encontrar e elucidar testemunhos históricos em momentos e contextos definidos, mas, permitem também, indagar  sobre trajetórias mais amplas com significados cuja temporalidade rebelde convida a diálogos não necessariamente presentes apenas na conjuntura vivida pelo autor e pelos seus personagens. Com essas questões no horizonte, serão aceitos artigos sobre textos e autores nacionais e estrangeiros que permitam aprofundar o debate entre a história social e a história cultural, a crítica literária e a escrita da história da literatura.

Data limite para submissão de artigos: 15 de fevereiro de 2019

 

A Intellèctus também recebe textos de fluxo contínuo que compõem todos os números publicados na seção de artigos livres e de resenhas.

 


Intelectuais e a relação entre a Ibero-América e a Europa - 2017 - 2

Maria Manuela T. Ribeiro ( Universidade de Coimbra)

Maria Emília Prado (UERJ)

Num vasto contexto intelectual e cultural, as identidades europeia e latino-americana emergem como cadinho comum de várias intersecções. Elas são produto de séculos de História. As mutações políticas, económicas, sociais e culturais são, podem ser, fatores de aproximação da Europa e da América Latina. Para legitimar a consolidação das relações Europa-América Latina pode evocar-ser a "comunidade de valores" e a cultura que as une.

Neste campo temático, abordagens várias poderão analisar questões tão pertinentes como estas:

- A Europa e a identidade plural da América Latina.

- O discurso dos intelectuais e os laços culturais latino-americanos

- Cooperação dinâmica e criativa dos intelectuais nos domínios científicos, sociais, culturais e de educação



v. 17, n. 1 (2018)

Sumário

Apresentação

Ana Flávia Magalhães Pinto, Ana Flávia Cernic Ramos
PDF
i-iii

Dossiê

Mónica García
PDF
1-27
Melina Kleinert Perussatto
PDF
28-47
Lívia Maria Tiede
PDF
48-72
Fernanda Oliveira da Silva
PDF
73-94
Niyi Afolabi
PDF
95-116
Ana Flávia Magalhães Pinto, Ana Flávia Cernic Ramos
PDF
117-124

Artigos Livres

José Fernando Saroba Monteiro
PDF
125-143
Luis Francisco Munaro
PDF
144-168
Albertina Vicentini Assumpção, Gabriel de Paula
PDF
169-190