Revista TransVersos

A Revista TransVersos de História, publicação quadrimestral do Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais (LEDDES/2001), vinculada ao Departamento de História e ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, espelha a plataforma ética sobre a qual devem estar assentadas as pesquisas históricas de intervenção no social. Privilegia reflexões que respeitem as diferenças sem eliminar o direito à igualdade. Toma como linha editorial as linhas de pesquisa do Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais, Vulnerabilidades, Escritas da História e Áfricas, a partir de um olhar interdisciplinar incorporado às pesquisas históricas contemporâneas, assim como o respeito às narrativas produtoras de sentido organizadas por sujeitos sociais não acadêmicos, mas que dialogam com o sentido de organização e orientação do tempo.

e-ISSN: 2179-7528 | Ano de criação: 2014 | Área do conhecimento: História | Qualis: A3 (História)


Imagem para capa da revista

PUBLICAÇÃO:

INDEXADORES:

Diadorim                              Google Acadêmico

Latindex                               LivRe 

Sumários.org 

Notícias

 

Sobre a Revista Transversos: Publicação da 21ª edição da Revista Transversos

 

 primeiro dossiê de 2021 da Revista Transversos, O protagonismo da Mulher Negra na escrita da História das Áfricas e das "Améfricas Ladinas". 


"A mulher é riqueza, diz o provérbio Igbo. A maior riqueza, pois é a mulher que dá a vida, que planta os alimentos, que nutre a sociedade. A “unidade matricêntrica” é um traço que une todas as sociedades africanas, um legado civilizatório deste continente, concluiu Amadiume ao examinar os papéis sociais desempenhados pelas mulheres Nnobi, subgrupo Igbo. No dia-a-dia das comunidades, são as mulheres que garantem a existência da população e isso é amplamente reconhecido e venerado (...).

Este dossiê é mais uma contribuição ao movimento de de(s)colonização do saber ao visibilizar e legitimar, academicamente, as mulheres negras na História. Assim, assumimos o compromisso ético-político e acadêmico-científico de transgredir a tradicional monocultura do saber moderno-ocidental (SANTOS, 2002), apresentando diferentes protagonismos de mulheres negras da História da África e da Améfrica Ladina (GONZALEZ, 1988)."

VIANA, Iamara da Silva; BRACKS, Mariana; CARVALHO, Marina Vieira de. O protagonismo da mulher negra na escrita da história das Áfricas e Améfricas Ladinas. In: Revista Transversos. Rio de Janeiro, nº. 21, 2021. pp. 6-13.

LEIA E COMPARTILHE!

 
Publicado: 2021-04-30
 

Chamada para Submissão dos Dossiês da Revista Transversos: Dossiê N. 23 - O futuro do passado: desafios para o ensino da História nas escolas numa perspectiva global

 

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO

THÉMATIQUE DE L’APPEL

CALL FOR PAPERS

CONVOCATORIA PARA PUBLICACIÓN

Mês de publicação: dezembro/2021.

 
Publicado: 2020-06-07 Mais...
 

Chamada para Submissão dos Dossiês da Revista Transversos: 19ª edição: Cinema e território na história audiovisual da América Latina, África e diásporas

 

Ao longo da história, cinema e território seguem refazendo seus mapas, das imagens coloniais usadas como instrumentos de dominação às novas cenas realizadas por cineastas africanos. Em terras latino-americanas, a relação com o território inaugurada pelo Cinema Novo/Nuevo Cine se desdobra em cinematografias diversas, especialmente as que são feitas nas margens – Cinema Negro, Indígena, Periférico. Talvez seja possível traçar rotas que levem, por exemplo, de VidasSecas (1963), de Nelson Pereira, a Bacurau (2019), de Kleber Mendonça e Juliano Dornelles. De memória do subdesenvolvimento (1968), de Tomás Gutiérrez Alea, a Nostalgia da luz (2010), de Patricio Guzmán, passando por sertões, desertos, becos, vielas, quebradas e favelas. No cinema português, Pedro Costa tem destacado as vivências periféricas de Vitalina Varela e Ventura, cabo-verdianos que deambulam por Lisboa, outrora capital de um império colonial, enquanto Filipa César tem trabalhado o arquivo fílmico da Guiné-Bissau como território identitário de um dos mais singulares processo de descolonização em África.

O dossiê propõe abarcar artigos que ponham em tensão tais aspectos, fechando foco nos territórios latino-americanos, africanos e diaspóricos. Territórios passados, presentes e futuros; utópicos e distópicos; simbólicos e reais. Espera-se constituir um conjunto de textos capazes não somente de explorar o tema em perspectiva transversal, como de incentivar leitores e leitoras a se lançar à busca de si, por filmes e territórios.

Organizadora(es):
  • Liliane Leroux - Procientista em Artes (Faperj/UERJ) e Professora da UERJ/FEBF.
  • Carlos Eduardo Pinto de Pinto - Professor de História do IFCH-UERJ e Professor Colaborador do Programa de Pós-Graduação em História da UERJ.
  • Paulo Cunha - Professor da Universidade da Beira Interior (Covilhã, Portugal), onde dirige o Mestrado em Cinema e integra o LabCom.IFP. 
 
Publicado: 2020-04-12 Mais...
 

Edital para submissão de dossiês: Dossiês para 2020

 
Dossiês para 2020

 
Publicado: 2019-12-07 Mais...
 

Chamada para Submissão dos Dossiês da Revista Transversos: Prorrogação a chamada de submissão para dossiês temáticos

 
Chamada para submissão dos dossiês da Revista Transversos  
Publicado: 2019-10-14 Mais...
 
Outras notícias...