CANTO ORFEÔNICO: A LINGUAGEM MUSICAL EM VOZES POLÍTICAS E EDUCATIVAS

Ednardo Monteiro Gonzaga Monti

Resumo


O presente artigo tem como foco as questões políticas e pedagógicas do projeto de educação musical desenvolvido nas escolas brasileiras por Villa-Lobos. Inicialmente propõe-se uma reflexão sobre os objetivos e as principais finalidades do orfeonismo implantado a princípio no Rio de Janeiro, então Distrito Federal. Em seguida, é apresentado um diálogo da metodologia utilizada pelo Maestro brasileiro com as idéias pedagógicas musicais de Kodály. Quanto à metodologia, a contextualização histórica deste trabalho teve como base documental e bibliográfica as publicações de órgãos oficiais do Estado na Era Vargas, tais como: o Conservatório Nacional de Canto Orfeônico, a Secretaria de Educação e Saúde do Distrito Federal e do Ministério da Educação e Saúde. Como resultado percebe-se que o Canto Orfeônico atendia às expectativas políticas e pedagógicas do período, pois promovia a educação artística do povo que era o anseio dos educadores musicais e, simultaneamente, expressava o discurso da cultura republicana na Era Vargas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional