INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA): PENSANDO A FORMAÇÃO DE PESSOAS DA TERCEIRA IDADE

Renata Borges Leal da Silva, Dilton Ribeiro Couto Junior

Resumo


Este artigo, fruto de pesquisa monográfica recentemente concluída, busca refletir sobre a utilização de tecnologias digitais na Educação de Jovens e Adultos (EJA), mais especificadamente os processos de ensinar-aprender voltados para o público da terceira idade. A pesquisa, de cunho teórico, se apropriou principalmente das contribuições de autores que discutem os usos das tecnologias digitais em contextos de ensino-aprendizagem. Com o trabalho, defendemos a necessidade de que sejam formuladas estratégias para que as pessoas da terceira idade na EJA sejam capazes de usufruir plenamente das experiências sociais ciberculturais, ampliando suas formas de ver/sentir o mundo. De forma alguma acreditamos que tal desafio seja algo simples, no entanto, exige de nós, como profissionais do campo da Educação, o compromisso ético de contribuir com uma formação na EJA que, com as tecnologias digitais, seja capaz de promover transformações sociais na vida dos estudantes da terceira idade.


Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos; inclusão digital; cidadania.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCÂNTARA, Alessandra; OSÓRIO, António. Um caso lúdico: brincar no Facebook! In: PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa (Orgs.). Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar. Paraíba: EDUEPB, 2014, p. 113-129. Disponível em: . Acesso em: 6 ago. 2019.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. História da educação. São Paulo: Moderna, 1996.

BONILLA, Maria Helena Silveira; SOUZA, Joseilda Sampaio. Diretrizes metodológicas utilizadas em ações de inclusão digital. In: BONILLA, Maria Helena Silveira; PRETTO, Nelson De Luca (Orgs.). Inclusão digital: polêmica contemporânea. Salvador: EDUFBA, 2011, p. 91-107. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COUTO, Edvaldo; FERRAZ, Maria do Carmo Gomes; PINTO, Jucinara de Castro Almeida. Tecnologias digitais e a promoção da eficácia e da equidade no contexto escolar. Textura, Canoas, v. 19, n. 40, p. 173-188, maio/ago. 2017. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2019.

FERREIRA, Helenice Mirabelli Cassino; COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro. Juventudes, educação e cidade: a mediação dos dispositivos móveis de comunicação nos processos de aprender-ensinar. Textura, Canoas, v. 20, n. 44, p. 108-129, set/dez. 2018. Disponível em: . Acesso em: 6 dez. 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessário à prática educativa. 31. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez, 2003.

FREITAS, Maria Teresa de Assunção. A pesquisa de abordagem histórico-cultural: um espaço educativo de constituição de sujeitos. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 10, n. 19, p. 1-12, 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2017.

GHIRALDELLI JUNIOR, Paulo. História da educação. São Paulo: Cortez, 1990.

HADDAD, Sérgio; DI PIERRO, Maria Clara. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, n. 14, p. 108-130, maio/jun./jul./ago. 2000. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2019.

HEINSFELD, Bruna Damiana; PISCHETOLA, Magda. O discurso sobre tecnologias nas políticas públicas em educação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 45, e205167, jul. 2019. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2019.

JOBIM E SOUZA, Solange. O olho e a câmera: desafios para a educação na época da interatividade virtual. Revista Advir, Rio de Janeiro, n. 15, p. 75-81, set. 2002.

LOLLINI, Paolo. Didática e computadores: quando e como a informática na escola. São Paulo: Loyola, 1991.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. São Paulo: EPU, 1997.

NERI, Anita Liberalesso. Velhice e sociedade. 2. Ed. Campinas, SP: Papirus, 2004.

NOLASCO-SILVA, Leonardo. “Os olhos tristes da fita rodando no gravador”: as tecnologias educacionais como artesanias docentesdiscentes. 2018. 205f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

NOLASCO-SILVA, Leonardo; FARIA, Lia; BIANCO, Vittorio Lo. Educação a Distância, cultura da convergência e audiovisualidades: apontamentos para a formação de professores. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 1-21, jun. 2018. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2019.

PINTO, Álvaro Vieira. Sete lições sobre educação de adultos. 11. Ed. São Paulo: Cortez, 2000.

PRETTO, Nelson De Luca. Reflexão: ativismo, redes sociais e educação. Salvador: EDUFBA, 2013.

PRETTO, Nelson De Luca. Professores universitários em rede: um jeito hacker de ser. Motrivivência, Florianópolis, ano XXII, n. 34, p. 156-169, jun. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2019.

PRETTO, Nelson De Luca; ASSIS, Alessandra. Cultural digital e educação: redes já! In: PRETTO, Nelson De Luca; SILVEIRA, Sérgio Amadeu (Orgs.). Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador: EDUFBA, 2008, p. 75-83. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2018.

ROMANELLI, Otaíza. História da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1998.

SALGADO, Edmée Nunes; BARBOSA, Paulo Corrêa. Educação de Jovens e Adultos. Rio de janeiro: Fundação CECIERJ, 2014.

SANTOS, Edméa. Educação online para além da EAD: um fenômeno da cibercultura. In: SILVA, Marco; PESCE, Lucila; ZUIN, Antonio (Org.). Educação online: cenário, formação e questões didático-metodológicos. Rio de Janeiro: Wak, 2010, p. 29-48.

SANTOS, Edméa. Formação de professores e cibercultura: novas práticas curriculares na educação presencial e a distância. Revista da FAEEBA, Salvador, v. 11, n. 17, p. 113-122, jan./jun. 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2019.

SANTOS, Edméa; COLACIQUE, Raquel; CARVALHO, Felipe da Silva Ponte de. A autoria visual na internet: o que dizem os memes? Quaestio, Sorocaba, v. 18, n. 1, p. 135-157, maio 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2019.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2020.46818

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

           


Índice de citação de artigos:


Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.