HUMANIZAÇÃO E DESUMANIZAÇÃO NA ESCOLA: DE VOLTA ÀS LIÇÕES COMPLEXAS DE FREIRE

Vitor Nunes Caetano, Lincoln Tavares Silva

Resumo


A humanização é tratada em sua complexidade, no campo da educação básica. Recorremos às contribuições desenvolvidas por Paulo Freire, complementadas por ideias de humanização do campo da saúde (DESLANDES, 2006) e de Complexidade (MORIN, 2011). Com isso, caracterizamos a humanização e seu contraposto, a desumanização, como fios que compõem a tecitura de um fenômeno complexo. Associamos tal fundamentação aos sentidos humanizantes e desumanizantes de práticas captadas junto a estudantes do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental da rede municipal do Rio de janeiro, conforme Moscovici (2003). A humanização na escola é tomada como processo formador, centrado na perspectiva freireana do Ser Mais, pensada com o despertamento das consciências dos estudantes como seres inconclusos, que necessitam de instrumentação para estar no mundo e com o mundo. Sendo assim, humanização e desumanização são práticas humanas, viabilidades históricas, que merecem centralidade e discussão permanentes.


Palavras-chave


Humanização; Complexidade; Representações Sociais; Educação Básica; Paulo Freire

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2017.31055

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários



ISSN: 2316-9303 | Indexada em: