IMAGENS E DISCURSOS SOBRE CORPOS, FAMÍLIAS E SUBJETIVIDADES: MANIFESTAÇÕES ESTIGMATIZANTES, IDEALIZAÇÕES E DESIGUALDADES NA ARENA DE DEBATE

Cristiane Marques Seixas, Daniela Menezes Neiva Barcellos, Eliane Portes Vargas, Flávia Milagres Campos, Francisco Romão Ferreira

Resumo


Este número traz uma Seção Temática com artigos que buscam problematizar os discursos e as imagens construídas do corpo e as subjetividades em contextos de múltiplas relações, dentre as quais aqueles onde a família se insere; discursos e imagens circulantes na vida cotidiana, mas também no mundo acadêmico, que informam a construção de determinados modelos, conceitos e práticas voltados à saúde e à alimentação. Esta iniciativa pretendeu estimular, incentivar e acolher análises estruturadas a partir de diferentes referenciais teóricos e metodológicos sobre o tema, construídos à luz de perspectivas mais abrangentes, reunindo estudos que ressaltam como manifestações estigmatizantes e modos de perceber a imagem de si e do outro impactam a subjetividade. Tais expressões - assentadas em imagens socialmente construídas do corpo, situadas em contextos como o das práticas profissionais em diferentes campos permeados de tensões e envolvendo relações familiares - exprimem, em grande medida, padrões de alimentação saudável e de beleza que merecem a dedicação de um ponto de vista da pesquisa, visto que se apresentam aos nossos olhos de modo naturalizado e, aparentemente, cristalino. A partir deste cenário de temas presentes na vida e no cotidiano, insuflado pelas mais variadas representações e coerções contemporâneas, encontramo-nos ante um espaço de reflexão sobre as moralidades acerca da alimentação, da saúde, do corpo perfeito, da obesidade, das desigualdades, do consumo de estilos de vida e de subjetividades.

DOI: 10.12957/demetra.2018.35259

 




DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2018.35259

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.