COMPOSIÇÃO DOS CARDÁPIOS ESCOLARES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE TRÊS MUNICÍPIOS DA REGIÃO SUL DO BRASIL: UMA DISCUSSÃO PERANTE A LEGISLAÇÃO

Suellen Secchi Martinelli, Panmela Soares, Rafaela Karen Fabri, Vanessa Mello Rodrigues, Michele Vieira Ebone, Suzi Barletto Cavalli

Resumo


O objetivo do estudo foi caracterizar a composição dos cardápios escolares da rede pública de ensino de três municípios da Região Sul do Brasil. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de caráter exploratório, delineada como estudo de caso. Realizou-se análise documental dos cardápios planejados para maio de 2011, destinados aos alunos do ensino fundamental. Para a análise da estrutura dos cardápios, foram definidas três categorias: refeição completa, lanche salgado e lanche doce. A composição dessas refeições foi avaliada conforme as recomendações do Programa Nacional de Alimentação Escolar e do Guia Alimentar para a População Brasileira. As categorias utilizadas foram: vegetais; frutas; cereais, tubérculos e raízes; carne e ovos; leguminosas; leite e derivados; embutidos e alimentos concentrados ou em pó para diluição. As refeições completas foram servidas na maioria dos dias letivos nos estados do Paraná (70%) e do Rio Grande do Sul (60%). As refeições completas geralmente estavam associadas à oferta de vegetais. Constatou-se baixa incidência de feijão e da combinação arroz e feijão, além de baixa variedade de frutas e vegetais. Não foram observados alimentos integrais, peixes e vísceras no cardápio. A presença de frutas foi identificada no máximo em sete dias letivos, mas ressalta-se a elevada adição de açúcar. Em dois municípios, os biscoitos estiveram presentes em cinco dos 20 dias avaliados. A oferta de lanches salgados ou doces geralmente estava combinada a alimentos com altos teores de sódio, gordura e açúcar, como biscoitos, alimentos concentrados e embutidos.

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/demetra.2014.10070

 

 


Palavras-chave


Alimentação Escolar. Alimentos. Segurança Alimentar e Nutricional. Planejamento de Cardápio.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Currie, C; Gabhainn, S.N.; Godeau, E.; Roberts, C.; Smith, R.; Currie, D.; Picket, W.; Richter, M.; Morgan, A.; Barnekow, V.. Inequalities in young people’s health: HBSC international report from the 2005/2006 survey. Copenhagen: World Health Organization, 2008.

Stettler, N. Comment: the global epidemic of childhood obesity: is there a role for the paediatrician? Obesity Reviews 2004; 5(1):1-3.

Lambert, J., Agostoni, C., Elmadfa, I., Hulsof, K., Krause, E., Livingstone, B., Socha, P., Pannemans, D., Samartins, S.. Dietary intake and nutritional statusof children and adolescents in Europe. British Journal of Nutrition 2004; 92(2):147–211.

World Health Organization. Consultation to develop a strategy to estimate the global burden of foodborne diseases. Geneva: 2006 43f. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2011

Lei n° 11.346. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências 2006 set 15. Pub DO 1(1), [Set 18 2006]

ABREU, E. S., SPINELLI; M. G. N.; PINTO, A. M. S. Gestão de Unidade de Alimentação e Nutrição: um modo de fazer. 5. ed. São Paulo: Editora Metha, 2013.

Brasil. Fundo Nacional de Desenvolvimento e Educação. Resolução/CD/FNDE nº 26, de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE, 2013. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/fnde/legislacao/resolucoes/item/4620-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-26,-de-17-de-junho-de-2013.

Brasil. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução Resolução/CD/FNDE nº 38, de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE, 2009. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/fnde/legislacao/resolucoes/item/3341-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-38-de-16-de-julho-de-2009.

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Referências Nutricionais para o Programa Nacional de Alimentação Escolar, 2009.

Brasil. Ministério da saúde. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

Richardson, R. J. Pesquisa Social. Métodos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

Yin, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Cavalli, S.; Soares, P.; Martinelli, S.S; Fabri, R.K; Ebone; M.V.; Rodrigues, V.M.; Melgarejo, L.; Lopes, S.; Sousa, A. Estratégias de Gestão da Qualidade dos Vegetais e Frutas Fornecidos pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) para a Alimentação Escolar. Relatório final. Brasília: MCT/MDS -SAGI/CNPq; fevereiro 2012. Edital nº 36/2010, 2012 , n. processo: 63662/2010-7. Patrocinado pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a fome/Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnólogico

Weis, B; Chaim, N. A; Belik, W. Manual de Gestão Eficiente da Merenda Escolar. 3ª edição. São Paulo: Ação Fome Zero, 2007.

Borjes, L, C; Cavalli, S.B; Proenca, R.P.C. Proposta de classificação de vegetais considerando características nutricionais, sensoriais e de técnicas de preparação. Revista de Nutrição 2010; 23(4):645-654.

Soares, P. Análise do Programa de Aquisição de Alimentos na alimentação escolar em um município de Santa Catarina [dissertação] Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2011.

Conselho Federal de Nutricionistas. Resolução CFN nº 465 de 23 de agosto de 2010. Dispõe sobre as atribuições do Nutricionista, estabelece parâmetros numéricos mínimos de referência no âmbito do Programa de Alimentação Escolar (PAE) e dá outras providências. Disponível em: http://www.cfn.org.br/novosite/arquivos/Resol-CFN-465-atribuicao-nutricionista-PAE.pdf

Dalla Costa, M. C.; Cordoni Junior, L.; Matsuo, T. Hábito alimentar de escolares adolescentes de um município do oeste do Paraná. Rev. Nutrição 2007; 20(5):461-471.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

Gambardella A. M. D., Frutuoso M. F. P, Franchi C. Prática alimentar de adolescentes. Revista de Nutrição 1999;12 (1):55-63.

Ciochetto,C.R; Orlandi, S.P; Vieira, M.F.A. Consumo de frutas e vegetais em escolares da rede pública no Sul do Brasil. Archivos Latinomericanos de Nutrición, 2012; 62 (2):172-179.

Gama, C. M. Hábito alimentar e condição nutricional de adolescentes de bom nível socioeconômico em São Paulo [tese]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo, 1997.

O’brien, r. R.; Champoux, t. B.; Haines, j.; Hannan, p. J.; Sztainer, D. N. Associations between school meals offered through the national school lunch program and the school breakfast program and fruit and vegetable intake among ethnically diverse, low-income children. Journal of School Health 2010; 80(10):487-492.

Boavetura et al. Avaliação qualitativa de cardápios oferecidos em escolas de educação infantil da grande São Paulo. Demetra 2013; 8(3):397-409.

Knai, C.; Pomerlau, J.; Lock, K.; Mckee, M. Getting children to eat more fruit and vegetables: A systematic review. Preventive Medicine 2006; 42(2):85–95.

Carvalho C. M. R. G., Nogueira A. M.T., Teles J. B. M., Paz S. M. R., Sousa R. M. L. Consumo alimentar de adolescentes matriculados em um colégio particular de Teresina, Piauí, Brasil. Revista de Nutrição 2001;14(2):85-93.

Lei n° 11.947 Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica; altera as Leis nos 10.880, de 9 de junho de 2004, 11.273, de 6 de fevereiro de 2006, 11.507, de 20 de julho de 2007; revoga dispositivos da Medida Provisória no 2.178-36, de 24 de agosto de 2001, e a Lei no 8.913, de 12 de julho de 1994; e dá outras providências 2009 jun 16. Pub DO 1(1) [Jun 17.2009].




DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2014.10070