TEMPORALIDADES E DIFERENÇAS NO COTIDIANO ESCOLAR

Luciana Pacheco Marques, Sandrelena da Silva Monteiro

Resumo


Em todas as épocas da humanidade o tempo faz-se e se faz tema de estudo, inquietações, inquirições. Conscientemente ou não, estabelecemos, em cada época, uma verdade sobre o tempo. Em um contexto de vida determinado por marcadores temporais socialmente construídos e internalizados como naturais, começamos a nos questionar se o tempo é ou não um fator de diferenciação e exclusão entre os seres humanos. E, particularmente no cotidiano escolar. O que percebemos, nos dias atuais, é um desencaixe entre a estrutura temporal adotada pela escola e a experiência temporal daqueles que nela habitam. A desconsideração das múltiplas temporalidades que coexistem no cotidiano escolar tem tido como consequência a diferenciação e exclusão daqueles que não se enquadram. Pensar temporalidades e diferenças no cotidiano escolar é pensar uma pedagogia que considera que cada um está efetivamente na sua hora, no seu ritmo, no seu tempo, na sua duração. Uma pedagogia de um outro tempo que valoriza a vida nas suas diferentes temporalidades.

Palavras-chave


Temporalidades, diferenças, educação, duração

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional