Educação em tempos pandêmicos: o uso do aplicativo WhatsApp como proposta de comunicação em aulas remotas

Gerusa Cabral Guerra, Josimar Alves, Roberta Barros de Oliveira Nascimento, Rosangela Renovato, Sebastiao da Silva Vieira

Resumo


Este trabalho é resultado de uma prática pedagógica aplicada na Escola Margarida Alves – Base Rural em Olinda -PE. O estudo tem como objetivo criar estratégias pedagógica em tempos de pandemia como proposta de comunicação em aulas remotas através do aplicativo com alunos do Ensino fundamental I. Destacando as experiências dos professores da Escola Margarida Alves com o novo modelo de aula remota proposta pela escola. Ao compreender que as tecnologias de comunicação estão presentes na vida dos estudantes, tirar proveito desse contexto é possibilitar novos rumos no processo de ensinar e aprender na escola. Enquanto aplicativo de um celular, o WhatsApp pode ser utilizado para a criação de grupos de estudos de forma a contribuir para o processo de aprendizagem fora do espaço da sala de aula, rompendo com as barreiras do tempo e do espaço. Com o aplicativo WhatsApp o professor pode valer-se dessa ferramenta para orientar seus estudantes nas dúvidas de atividades de leitura, nos textos a serem discutidos, postando atividades, links, e vídeos e fotos como proposta de atividade, relatórios de estudo, bem como na correção e orientação de trabalhos, entre outras possibilidades. O uso do WhatsApp através da criação de grupos fechados, vem sendo uma importante ferramenta para a realização as aulas remotas, facilitando o processo de ensino e aprendizagem, uma vez que a muitos estudantes utilizam deste recurso para se comunicarem e entreterem, e é o recurso mais acessível na vida dos nossos estudantes.


Palavras-chave


Ensino-aprendizagem; WhatsApp; Atividades remotas; Ferramentas pedagógicas

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Educação a distância na internet: abordagens e contribuições dos ambientes digitais de aprendizagem. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 327-340, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v29n2/a10v29n2.pdf. Acesso em: 23 abr. 2020.

BACICH, Lilian. TANZI NETO, Adolfo. TREVISANI, Fernando de Mello. Ensino híbrido:personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015

BUENO, Marcos. Programas de qualidade no setor avícola brasileiro: o caso da granja planalto. 2002. 197f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

LARA, Ellys Marina de Oliveira; LIMA, Valéria Vernaschi; MENDES, Juliana Delalibera; RIBEIRO, Eliana Claudia Otero; PADILHA, Roberto de Queiroz. O professor nas metodologias ativas e as nuances entre ensinar e aprender: desafios e possibilidades. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 23, n. e180393, p. 1-15, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/v23/1807-5762-icse-23-e180393.pdf. Acesso em: 25 abr. 2020.

PEREIRA, Bianca Raquel, OLIVEIRA, Kiminay. O uso do mentimenter como ferramenta de apoio ao docente.VI SINECT – Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – UTFPR.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2021.53827

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.