Educar em tempos de pandemia: desafios da profissão docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.61398

Palavras-chave:

Profissão docente. Pandemia. Desafios. Dialogia freiriana.

Resumo

Educar em tempos de pandemia: desafios da profissão docente. O título deste ensaio traz explícito o objetivo principal: refletir sobre os diversos desafios que os docentes têm enfrentado neste momento de pandemia do COVID 19, com a imposição de diversas plataformas digitais, políticas públicas frágeis e a recorrente deslegitimação e desvalorização da profissão docente. O artigo procura explanar e elencar os problemas que se agudizaram diante do contexto pandêmico e como esses problemas reforçaram o descaso do poder público para com a educação pública, em especial para com os docentes. Com base na pedagogia e dialogia freiriana e os pressupostos da prática para a educação libertadora, considera-se que os problemas apresentados serão enfrentados se a profissão docente for considerada sob perspectiva colaborativa, autônoma e autoral, em face da realidade e dos contextos plurais nos quais as escolas estão inseridas.

Biografia do Autor

Júnior Leandro Gonçalves, Unifesp

Mestrando em Educação (UNIFESP); Professor de Ciências e Biologia nas redes municipal e estadual de ensino de São Paulo. Integrante do grupo de Pesquisa LEC: Linguagem, Educação e Cibercultura.

Lucila Pesce, Unifesp

Doutora em Educação (PUC-SP), com pós-doutorado em Filosofia e História da Educação (Unicamp); Professora Associada da Unifesp; membro do quadro permanente de professores do PPGE - Unifesp. Líder do grupo de Pesquisa LEC: Linguagem, Educação e Cibercultura.

Referências

ALGEBAILE, Eveline. Escola pública e pobreza no Brasil: a ampliação para menos. Rio de Janeiro: Lamparina, FAPERJ, 2009.

BONILLA, Maria Helena; PRETTO, Nelson de Luca. As tecnologias digitais: construindo uma escola ativista. In: BRAGA, Denise B. (org.). Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação e Participação Social. São Paulo: Cortez, 2015. p. 149-166.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm Acesso em 23/07/2021

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm Acesso em 23/07/2021

BRASIL. Ministério de Educação - MEC. Plano Nacional de Educação (2014-2024). Disponível em: http://pne.mec.gov.br/ Acesso em 23/07/2021

BRASIL. Projeto de Lei 3.477/2020. Dispõe sobre a garantia de acesso à internet, com fins educacionais, aos alunos e professores da educação básica pública. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2256081 Acesso em 23/07/2021

CETIC. TIC DOMICÍLIOS: Pesquisa Sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos Domicílios Brasileiros, 2019. Disponível em: https://cetic.br/pt/publicacao/pesquisa-sobre-o-uso-das-tecnologias-de-informacao-e-comunicacao-nos-domicilios-brasileiros-tic-domicilios-2019/ Acesso em 23/07/2021

Conferência Nacional de Educação (CONAE), Documento Referência. (2018). Brasília, DF: MEC. Disponível em: http://conae.mec.gov.br/images/pdf/doc _referencia_conae_2018.pdf Acesso em 23/07/2021

CONTRERAS DOMINGO, José. A Autonomia de Professores. São Paulo: Cortez, 2002.

DIAS, Lia Ribeiro. Inclusão digital como fator de inclusão social. In: PRETO, Nelson; BONILLA, Maria Helena (orgs.). Inclusão digital: polêmica contemporânea. Salvador: EDUFBA, 2011. p. 61-90.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. 4ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 57ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

HABERMAS, Jürgen. On the pragmatics of communication. Cambridge: the MIT Press, 1998.

KINCHELOE, Joe. A formação do professor como compromisso político. Trad. M. C. Pellanda. Porto Alegre: ArtMed, 1997.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

NÓVOA, Antônio. Os Professores na Virada do Milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 11-20, jan./jun. 1999.

PESCE, Lucila. As contradições da institucionalização da educação a distância, pelo Estado, nas políticas de formação de educadores: resistência e superação. Revista HISTEDBR On-line (UNICAMP), v. 1, n. 26, pp. 183-208, jun. 2007. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/26/art11_26.pdf Acesso em 23/07/2021

PESCE, Lucila; BRUNO, Adriana Rocha. Educação e inclusão digital: consistências e fragilidades no empoderamento dos grupos sociais. Educação (PUC RS). v. 38, n. 03, set.-dez. 2015. p. 349-357.

ROLDÃO, Maria do Céu. Profissionalidade docente em análise: especificidades dos ensinos superior e não superior. Nuances: Estudos Sobre Educação, ano XI, v. 12, n. 13, p. 105-126, jan./dez. 2005.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 5ª ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2005.

Downloads

Publicado

2021-10-13

Como Citar

GONÇALVES, Júnior Leandro; PESCE, Lucila. Educar em tempos de pandemia: desafios da profissão docente. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 40–52, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.61398. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/61398. Acesso em: 18 jun. 2024.