Acolhimento de estudantes refugiados no ensino superior por meio do acompanhamento terapêutico: uma aprendizagem das “co-moções”.

Suellen Ferreira Luz, Rodrigo Lages e Silva

Resumo


Apresentamos resultados de uma pesquisa que foi realizada a partir do acolhimento educacional de estudantes em situação de refúgio no ensino superior em uma Instituição Federal de Ensino durante o período pandêmico. Para tanto, foi realizada uma aproximação entre os temas de saúde mental e educação, tendo em vista que saúde e aprendizagem se tornaram indissociáveis nos processos de acolhimento. A metodologia se caracterizou como pesquisa-intervenção e teve como dispositivo o do Acompanhamento Terapêutico (AT), por meio do qual foi  constituída  uma prática clínica porosa, composta pela polifonia de vozes que emergiu no encontro com os estudantes. Centramos nosso debate no conceito de “co-moções” como pista ética por meio da qual se buscou transversalizar saúde mental e educação na direção de um bem-estar pensado como responsabilização pela vida comum. Na discussão de resultados destacamos a percepção contra-etnográfica do encontro com estudantes refugiados e a noção polifonia que emergiu dessa experiência.

 

Palavras-chave


acolhimento de  refugiados; Acompanhamento Terapêutico; ensino superior

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2022.65941

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional