A CIRCULARIDADE DE SABERES NA FORMAÇÃO DOCENTE: PARA QUEM E POR QUE PESQUISAMOS?

Luís Paulo Cruz Borges, Yara de Souza Ferreira, Helena Amaral da Fontoura

Resumo


As relações éticas vividas no itinerário de uma investigação, através de uma abordagem etnográfica (BORGES, 2011) compõem o objeto de estudo deste artigo. Objetivamos investigar como ocorre a circularidade de saberes entre a escola e a universidade através dos processos de formação de professoras que atuam na educação básica. A pesquisa utiliza-se de observação participante, entrevistas semiestruturadas e a descrição densa. Os pressupostos que conduziram essa investigação estão pautados nas concepções de Morin, Leitão, Fontoura e Lüdke. Como parte dos resultados, evidenciamos dados através de problematizações acerca da circularidade de saberes que ocorre entre a escola e a universidade, refletindo sobre as relações éticas vividas no cotidiano da pesquisa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional