A AUTORIDADE NÃO PASSARÁ

Jean Houssaye

Resumo


Meu discurso não será comedido, tampouco convencional. Creio, pois, a respeito desta temática da autoridade na escola, que os discursos proferidos são muitas vezes afetados, esforçando-se para minimizar as difíceis situações e questões às quais os professores encontram-se confrontados no dia a dia. Não será comedido, já que vou examinar a questão do lado dos pedagogos; ora, os pedagogos raramente mostram comedimento, justamente porque eles se obrigam a adotar uma prática diferente na sala de aula. Não será convencional, já que nesta questão da autoridade na prática da sala de aula, forte é a tentação em recorrer à vara de condão da autoridade para aplacar as dificuldades encontradas na aprendizagem.
A autoridade não passará. Tal é o lema de meu discurso, que desenvolverei sob três ângulos: a autoridade não passará, disso sempre se falará teoricamente; a autoridade não passará, disso sempre se falará praticamente; a autoridade não passará, sempre será preciso resistir-lhe pedagogicamente. Resta que meu discurso é basicamente inaudível, principalmente para jovens professores ou professores em curso de formação, justamente porque se trata de defender que é necessário abandonar ou ultrapassar esta problemática da autoridade. Melhor sabê-lo desde o princípio, ainda que seja para lhe resistir.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional