A SERPENTE PEDAGÓGICA: O PROJETO ESCOLA SEM PARTIDO E O ENSINO DE SOCIOLOGIA NO BRASIL

Walace Ferreira, Alberto Alvadia Filho

Resumo


Este trabalho analisa como o programa Escola sem Partido, considerando tanto suas forças enquanto movimento de ordem conservadora quanto suas propostas de lei, podem impactar o ensino e o currículo de Sociologia no Ensino Médio brasileiro. O ESP trata de valores como moral, ética, laicidade e liberdade no âmbito da pluralidade, quando, na verdade, supõe a supressão da pluralidade em favor de um ensino que se pretende estéril e unidimensional, estimulando o denuncismo, o controle e o cultivo a valores nocivos pedagogicamente. A Sociologia, por sua vez, é uma ciência que estabelece formas de estranhamento, propondo a desnaturalização e a problematização das relações sociais, reafirmando sua historicidade e sua materialidade. A partir da perspectiva de que o conteúdo da disciplina será duramente afetado com a implantação do projeto, a proposta deste artigo é abordar estes aspectos de forma crítica, refletindo sobre o presente e o futuro do seu ensino.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2017.30272


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: