HORTAS ESCOLARES PEDAGÓGICAS COMO ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: PERCEPÇÃO DE PAIS E EDUCADORES SOBRE OS IMPACTOS NA ALIMENTAÇÃO DAS CRIANÇAS

Mariana Tarricone Garcia, Denise Eugenia Pereira Coelho, Cláudia Maria Bógus

Resumo


Introdução: As escolas têm sido reconhecidas como um ambiente favorável para a educação alimentar e nutricional, e intervenções baseadas em hortas escolares têm mostrado resultados positivos. Objetivo: Descrever o impacto na alimentação associado à experiência de crianças na produção de alimentos em hortas escolares, de acordo com a percepção de pais e educadores. Métodos: Foram realizadas entrevistas em profundidade com diretores, professores e funcionários, e entrevistas domiciliares semiestruturadas com pais de alunos de três escolas de uma cidade da Grande São Paulo. Um total de 27 indivíduos foram entrevistados, sendo 19 pais e 8 educadores. Resultados e discussão: A horta escolar proporcionou a reflexão sobre o ato de comer e sobre os alimentos, através do conhecimento adquirido com o contato direto com o cultivo desses alimentos. A experiência teve um impacto sobre as crianças e famílias envolvidas com tais atividades. O contato promoveu compreensão sobre a comida e fortaleceu esta conexão, bem como maior sensibilização para o ato de comer. Na prática, isso resultou em mudanças concretas na alimentação, maior conhecimento sobre os alimentos e o sistema alimentar, além de maior valorização dos alimentos produzidos e estímulo para experimentar novos. Conclusão: A horta escolar é, assim, uma estratégia de educação alimentar e nutricional com base no envolvimento e relação direta com alimentos.

DOI: 10.12957/demetra.2017.26407


Palavras-chave


Jardinagem. Educação Alimentar e Nutricional. Saúde Escolar.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2017.26407

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.