DE TOQUES SUTIS A VOADORAS: POR UMA ÉTICA EDUCACIONAL A PARTIR DOS CORPOS

André Bocchetti

Resumo


O texto propõe um olhar sobre a ideia de uma ética educacional desde os corpos, aproximando filósofos da diferença e aulas de Biodanza, uma prática corporal, na universidade. A noção de ética em Foucault pressupõe um vínculo estreito entre as mensagens trazidas pelo indivíduo ao mundo e seus modos de ser. Com Gil tal vínculo pode ser lido em corpos paradoxais e com possibilidades de abertura. O que se pode, então, dizer de uma ética que tenha como base um corpo sempre permeável? Como fazer educação a partir dela? Pensamos uma ética educacional a partir da condição responsiva do corpo, que suspende sua suposta estabilidade; de sua condição aglutinadora, nos contatos que estabelece; e de sua condição de comum, que sustenta a força política da intempestividade do corpo.

Palavras-chave


Biodanza; Corpo e Educação; Ética educacional e corporeidade; Educação somática.

Texto completo:

PDF

Referências


BOLSANELLO, D. P. Em pleno corpo: educação somática, movimento e saúde. Curitiba: Juruá, 2009.

DARDOT, P.; LAVAL, C. Comum: ensaio sobre a revolução no século XXI. Tradução de Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2016.

LE MOAL, P. Dictionnaire de la danse. Paris: Larrousse, 2008.

DELEUZE, G. Lógica do sentido. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes. São Paulo: Perspectiva, 2015.

______. Proust e os signos. Tradução de Antonio Piquet e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

______. Espinosa: Filosofia prática. Tradução de Daniel Lins e Fabien Pascal Lins. São Paulo: Escuta, 2002.

DREYFUS, H; RABINOW, P. Michel Foucault entrevistado por Hubert L. Dreyfus e Paul Rabinow. In.: _______. Michel Foucault, uma trajetória filosófica (para além do estruturalismo e da hermenêutica). Tradução de Vera Porto Carrero. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995, p. 251-292.

FOUCAULT, M. O enigma da revolta: entrevistas inéditas sobre a Revolução Iraniana. Tradução de Lorena Balbino. São Paulo: n-1, 2018.

______. Ditos e escritos VI – Repensar a politica. Tradução de Ana Lúcia Paranhos Pessoa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010, p. 289-347.

______. A hermenêutica do sujeito. Tradução de Marcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2006(a).

______. História da Sexualidade 2: o uso dos prazeres. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 2006(b).

______. Ditos e escritos V – Ética, sexualidade, política. Tradução de Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006(c).

GALLO, S. Em torno de uma educação menor. Educação e Realidade, v. 27, n.2, jul./dez. 2002, p. 169-178.

GIL, J. Caos e Ritmo. Lisboa: Relógio D’Água, 2018.

______. Pequenas percepções. In: LINS, D. (Org). Razão Nômade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005, p. 19-32.

______. Movimento total. O corpo e a dança. Lisboa: Relógio D’Água, 2001.

GUATTARI, F; ROLNIK, S. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

HANNA, Thomas. What is Somatics? Somatics, v. 4, 1986, p. 4-8.

INGOLD, T. Anthropology and/as Education. London: Routledge, 2017.

LAPOUJADE, D. Deleuze, os movimentos aberrantes. Tradução de Laymert Garcia dos Santos. São Paulo: n-1, 2015.

LAVAL, C. Foucault e a experiência utópica. In:FOUCAULT, M. O enigma da revolta: entrevistas inéditas sobre a Revolução Iraniana. Tradução de Lorena Balbino. São Paulo: n-1, 2018, p. 102-142.

LEVY, Tatiana Salem. A experiência do fora: Blanchot, Foucault e Deleuze. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

UNO, K. Hijikata Tatsumi: Pensar um corpo esgotado. Tradução de Christine Greiner e Ernesto Filho. São Paulo: n-1, 2018.

VEIGA-NETO, A. Foucault e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2019.45745

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: