O BRINCAR NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: um contexto fronteiriço.

Alexandre Paulo Loro

Resumo


O objetivo desse trabalho é discutir como o brincar é percebido no ambiente escolar na perspectiva de um grupo de pais de alunos e pelos professores de Educação Física que vivem/trabalham numa região de fronteira. A abordagem da pesquisa é qualitativa e teve os dados coletados através de um questionário semiestruturado. Constatou-se que as crianças comentam com os familiares e reproduzem em casa as brincadeiras realizadas na escola. Na opinião dos pais, a escola não pode perder de vista o ensino desse conteúdo e compreendem ser necessária a criação de novas alternativas de ensino. Os professores afirmam que trabalham com o brincar, adaptando-o a partir da realidade da escola. O brincar possui potencialidade educativa, com suas características específicas, semelhanças e diferenças, especialmente quanto o público são crianças fronteiriças, descendentes de bolivianos que estudam em Corumbá/MS/Brasil.

Palavras-chave


Educação Física Escolar; Brincar; Fronteira.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional