Indignação epistêmica e decolonização do conceito de minorias / Epistemic indignation and decolonization of the concept of minorities

Raquel Coelho de Freitas, Luciana Nogueira Nóbrega

Resumo


DOI:10.1590/2179-8966/2022/62119.

Resumo

Este trabalho traz a proposta da indignação epistêmica como caminho crítico e decolonizador para refletir sobre a construção do conceito de minorias no Direito moderno. A partir de pesquisa bibliográfica e de análise da construção histórico-social do conceito de minorias, buscamos demonstrar sua ambigüidade latente: ao mesmo tempo em que reconhece direitos, oculta relações de poder que criam, reforçam e atualizam injustiças sociais, econômicas e epistêmicas.

Palavras-chave: indignação epistêmica; Decolonialidade; Minorias.

Abstract

This work brings the proposal of epistemic indignation as a critical and decolonizing way to reflect on the construction of the concept of minorities in modern law. From bibliographic research and analysis of the historical-social construction of the concept of minorities, we seek to demonstrate its latent ambiguity: while recognizing rights, it hides power relations that create, reinforce and update social, economic and epistemic injustices.

Keywords: Epistemic indignation; Decoloniality; Minorities.



Palavras-chave


Indignação epistêmica; Decolonialidade; Minorias/Epistemic indignation; Decoloniality; Minorities.

Texto completo:

PDF PDF (English)
';



Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Rua São Francisco Xavier, 524, S-E - Maracanã - Rio de Janeiro (RJ), Brasil - CEP: 20.550-013 - Email: 
direitoepraxis@gmail.com - ISSN: 2179-8966