TECNOLOGIAS ASSISTIVAS: O FAZER ESTRATÉGICO DE UMA PROFESSORA DA SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAL

Romilda Silva Prazeres, Verônica de Oliveira Magalhães

Resumo


A nascente do conceito de Tecnologia Assistiva adotado no Brasil tem permitido várias interpretações sobre o que se configura, ou não, como pertencente a esta área do conhecimento. Durante pesquisa de mestrado, que visava compreender o fazer estratégico de uma professora da Sala de Recursos Multifuncionais, tendo como base em seus atendimentos o uso da tecnologia assistiva, procuramos compreender, a partir do discurso da professora, quais são as suas concepções acerca do conceito de Tecnologia Assistiva e Atendimento Educacional Especializado. Assim, este artigo, objetiva analisar como as estratégias pedagógicas do professor da sala multifuncional, a partir do uso das tecnologias assistivas, contribui no processo de ensino de alunos na educação inclusiva, no ensino fundamental. Participou da pesquisa uma professora lotada na Sala de Recursos Multifuncionais onde realiza o atendimento educacional especializado. A coleta de dados se deu por meio de aplicação de questionário aberto, e as informações obtidas como respostas foram organizadas e categorizadas para análise. Os resultados demonstram, por meio da pesquisa colaborativa, que são muitas as contribuições que as tecnologias assistivas trazem para a educação inclusiva. Porém verificou-se também, dentre outros, a fragilidade em relação ao conceito e sua utilização no que se refere ao atendimento aos alunos com deficiência. Entende-se que para alguns alunos com deficiência a utilização da tecnologia assistiva tornou-se uma das formas mais adequadas de ter acesso ao conhecimento, no intuito de ampliar suas habilidades e cooperar nos seus estudos, na sua comunicação e na interação com o outro.


Palavras-chave


Educação Especial. Prática Pedagógica. Atendimento Educacional Especializado.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2007. (Coleção primeiros passos; 20).

BRASIL. Comitê de Ajudas Técnicas. Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (CORDE/SEDH/PR), 2007a. Disponível em:

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Diretrizes Operacionais da Educação Especial para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica. Secretaria da Educação Básica – SEEB/Ministério da Educação/MEC. Brasília: 2008.

BERSCH, Rita. Tecnologia Assistiva - TA: Aplicações na Educação/ Módulo III. Santa Maria, 2012.

CASTRO, Antonilma Santos de Almeida; SOUZA, Lucimêre Rodrigues de; SANTOS, Marilda Carneiro. Proposições teóricas para a inclusão da Tecnologia assistiva (TA) no currículo Escolar da educação básica. Sitientibus, Feira de Santana, n. 44, p. 145-158, jan./jun. 2011.

CORREIA, Luís de Miranda. Alunos com Necessidades Educacionais Especiais nas Classes Regulares. 1. ed. Portugal: Porto Editora, 1999.

BRASIL. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a política nacional para a integração da pessoa portadora de deficiência, consolida as normas e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 21 dez. 1999.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. A. Tecnologia Assistiva: de que se trata? In: MACHADO, G. J. C.; SOBRAL, M. N. (Orgs.). Conexões: educação, comunicação, inclusão e interculturalidade. Porto Alegre: Redes Editora, 2009.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves; MIRANDA, Teresinha Guimarães. G. Tecnologia Assistiva e salas de recursos: análise crítica de um modelo. In: GALVÃO FILHO, T. A. (Org.); MIRANDA, T. G. (Org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia - EDUFBA, 2012, p. 247-266. ISBN: 9788523210144.

SANCHEZ, Pilar Arnaiz. A Educação Inclusiva: um meio de construir escolas para todos no século XXI. Revista da Educação Especial. Ano I, nº. 1. Out/2005.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 23ª ed. São Paulo: Cortez, 2007.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2020.47629

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

           


Índice de citação de artigos:


Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.