FAZERES CIBERCULTURAIS PATAXÓ NO/DO COLÉGIO ESTADUAL INDÍGENA KIJẼTXAWÊ ZABELÊ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2023.73233

Palavras-chave:

Cibercultura. Pataxó. Educação Escolar Indígena.

Resumo

O presente texto se insere nas atividades do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais – PPGER, no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências – IHAC da Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB e em diálogos no grupo de pesquisa “Kijetxawê: Currículo, Diferença e Formação de Professores – CNPq/UFSB”. O mesmo tem como objetivos identificar e analisar práticas ciberculturais do/no Colégio Estadual Indígena Kijẽtxawê Zabelê. A pesquisa utiliza a conversa como metodologia de pesquisa, juntamente com a netnografia e etnoprintgrafia. Assim, tivemos como campo empírico o Colégio Estadual Indígena Kijetxawê Zabelê, participando de conferências e encontros virtuais para a observação e diálogo com os (as) docentes e discentes indígenas, bem como etnoprintgrafias em canais do Youtube, sites e páginas de redes sociais, registrando as práticas ciberculturais realizadas pelo Colégio e seus/suas membros (as).

Biografia do Autor

Aelsio Pereira de Almeida, IF Baiano

Mestre em Ensino e Relações Étnico-Raciais (PPGER-UFSB). Especialista em Engenharia de Sistemas pela Escola Superior Aberta do Brasil. Graduado em Ciência da Computação pela Faculdade Pitágoras de Teixeira de Freitas (2008). Possui Licenciatura Interdisciplinar em Matemática, Computação e suas Tecnologias pela Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). É membro do Grupo de Pesquisa Kijetxawê: currículo, diferença e formação de professores(as) – CNPq.

Paulo de Tássio Borges da Silva, Universidade Federal Fluminense - UFF

Doutor em Educação pelo PROPed-UERJ, Mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Mestre em Linguística e Línguas Indígenas pelo Museu Nacional da UFRJ. É professor adjunto na Universidade Federal Fluminense (UFF). Líder do Grupo de Pesquisa Kijetxawê: currículo, diferença e formação de professores(as) – CNPq”.

Referências

BORGES, L.; RODRIGUES, M. DO C. DE M. M. A Etnoprintgrafia na Educação: O conceito de infância e o papel da fotografia no documentário nascidos em bordéis. Abatirá - Revista de Ciências Humanas e Linguagens, v. 2, n. 3, p. 28 - 47, 5 ago. 2021.

BORGES, L. M. #Soudoaxé: redes educativas e o ciberativismo da Juventude de Terreiro da nação Ijexá. 2019. 241f. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2019.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n.º 3, de 10 de novembro de 1999. Fixa Diretrizes Nacionais para o funcionamento das escolas indígenas e dá outras providências. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rceb03_99.pdf. Acesso em 02 abr. 2021.

BRASIL. Lei n.º 11.645, de 10 março de 2008. Altera a Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso: 20 jan. 2021.

ESCOLA ESTADUAL INDÍGENA KIJẼTXAWÊ ZABELÊ. Projeto Político Pedagógico (PPP). Prado-BA, s/a.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido, 17a ed. Rio de Janeiro, Ed. Paz e Terra,

GEERTZ, C. Uma descrição densa: por uma teoria interpretativa da cultura. In: A Interpretação das Culturas. 1 ed., 13 reimpr., Rio de Janeiro: LTC, 2008, p. 3-21.

LOPEZ-Pison J.; GARCIA-Jimenez MC.; MONGE-Galindo L.; LAFUENTE-Hidalgo M.; PEREZ-Delgado R.; GARCIA-Oguiza A.; et al. Our experience with the a etiological diagnosis of global developmental delay and intellectual disability: 2006-2010. Neurologia. 2014; 29(7):402-7.

MACEDO, R. S. A Etnopesquisa implicada: pertencimento, criação de saberes e afirmação. Brasília: Liber Livros, 2012.

MARQUES, L. P. A conversa como caminho metodológico na pesquisa com os cotidianos In: RIBEIRO, T.; SOUZA, R.; SAMPAIO, C. S. (Orgs.). Conversa como metodologia de pesquisa: por que não? Prefácio. Rio de Janeiro: Ayvu, 2018, p. 15-20.

MELIÁ, B. Educação indígena e alfabetização. São Paulo: Loyola, 1979.

RIBEIRO, T.; SOUZA, R.; SAMPAIO, C. S. (Orgs.) Conversa como metodologia de pesquisa: por que não? Rio de Janeiro: Ayvu, 2018. 216p.

SILVA, A. L. A questão da educação indígena. São Paulo: Brasiliense, 1981.

SILVA, M.; SANTOS, E. O. dos. Conteúdos de aprendizagem na educação online inspirar-se no hipertexto. Educação & Linguagem. v. 12 n. 19, p. 124-142, jan.-jun. 2009.

SILVA, P. T. B. As Relações de Interculturalidade entre Conhecimento Científico Tradicional Pataxó na Escola Estadual Indígena Kijetxawê Zabelê. 2014. 121f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão: 2014.

Downloads

Publicado

2023-08-04

Como Citar

ALMEIDA, Aelsio Pereira de; DA SILVA, Paulo de Tássio Borges. FAZERES CIBERCULTURAIS PATAXÓ NO/DO COLÉGIO ESTADUAL INDÍGENA KIJẼTXAWÊ ZABELÊ. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 77–94, 2023. DOI: 10.12957/redoc.2023.73233. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/73233. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo Seção Temática

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)