AS CONCEPÇÕES DOS LICENCIANDOS SOBRE AS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA RELAÇÃO DOS SUJEITOS COM O MUNDO: CONSIDERAÇÕES PARA A APROPRIAÇÃO PEDAGÓGICA DAS TDIC E FORMAÇÃO DOCENTE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2023.69427

Palavras-chave:

TDIC, Formação de Professores, Cultura Digital.

Resumo

Este trabalho analisa as concepções dos professores em formação sobre as tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) na relação com o contexto cotidiano, articulando tais perspectivas aos modos de apropriação e utilização pedagógica das ferramentas digitais. O corpus da pesquisa foi construído a partir da estratégia de entrevista em grupo focal, envolvendo a participação de 19 licenciandos em Química de uma instituição federal de ensino. A categorização e discussão dos dados gerados foram balizadas pela estratégia da Análise Textual Discursiva em interlocução com elementos do referencial teórico recente a respeito da cultura e tecnologia digital no campo educativo. Como resultado, observamos o predomínio de visões instrumentalistas/deterministas da tecnologia, além dos fatores da aceleração e da instantaneidade como formas de organização das relações sociais mais amplas. Analisamos que tais aspectos podem representar uma mitigação das possibilidades educacionais das TDIC se transpostos para a prática pedagógica desarticulados de adequada reflexão pelos futuros docentes. Concluímos que a formação inicial de professores necessita reconhecer e considerar as formas como os professores percebem e significam as tecnologias na era digital em sua organização curricular para problematizar e superar as eventuais barreiras para sua efetiva adoção pedagógica.

Biografia do Autor

Thiago Bernardo Cavassani, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - Campus Catanduva.

Doutor em Química, é membro Centro de Referência em Ensino de Ciências da Natureza – CRECIN. É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – IFSP, Catanduva-SP, Brasil.

Rosebelly Nunes Marques, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo – ESALQ/USP– Piracicaba, SP – Brasil.

Doutora em Química e em Educação. É docente da Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo – ESALQ/USP– Piracicaba, SP – Brasil. Pesquisadora responsável pelo Centro de Referência em Ensino de Ciências da Natureza – CRECIN.

Referências

BARRETO, Raquel Goulart. Discursos, tecnologias, educação. Rio de Janeiro: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2009.

BRITTO, Rovilson Robbi. Cibercultura: sob o olhar dos estudos culturais, São Paulo: Paulinas, 2009.

CARLINI-COTRIM, Beatriz. Potencialidades da técnica qualitativa grupo focal em investigações sobre abuso de substâncias. Revista de Saúde Pública, v.30, n.3, p. 285-93, 1996. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rsp/a/Gn7VGm9Wkj3YhTBKb5DjmDs/abstract/?lang=pt>. Acesso em: 27 jul. 2022.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CGI.br - COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL. Uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2019. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2020. Disponível em: <https://www.cgi.br/media/docs/publicacoes/2/20201123090444/tic_edu_2019_livro_eletronico.pdf>. Acesso em 22 out. 2021.

COSTA, Sandra Regina Santana; DUQUEVIZ, Barbara Cristina; PEDROZA, Regina Lúcia Sucupira. Tecnologias Digitais como instrumentos mediadores da aprendizagem dos nativos digitais. Psicologia Escolar e Educacional, v. 19, n. 3, p. 603-610, 2015. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/pee/a/NwwLwRTRTdBDmXWW4Nq7ByS/abstract/?lang=pt>. Acesso em: 20 jul. 2022.

ERTMER, Peggy. Addressing first-and second-order barriers to change: Strategies for technology integration. Educational technology research and development, v. 47, n. 4, p. 47-61, 1999. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007/BF02299597>. Acesso em: 20 jul. 2022.

FEENBERG, Andrew. O que é a filosofia da tecnologia? 2003. Disponível em: http://www.sfu.ca/~andrewf/oquee.htm. Acesso em: 19 jul. 2022.

GUIMARAES, Áurea Maria; PASTRE, José Luiz. O pensamento e o movente: um ensaio a propósito da experiência da duração ante os processos de aceleração da história e alguns desafios para a educação. Educação Temática Digital, v. 18, n. 2, p. 485–494, 2016. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8644681/13329>. Acesso em: 20 jul. 2022.

GUIMARÃES, Tereza; BERNADO, Elisangela. O tempo e sua essencialidade na escola de tempo integral. Revista Educação Em Questão, v. 58, n. 58, p. 1-22, out./dez. 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/21906/13363>. Acesso em: 20 jul. 2022.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 6 ed. Porto Alegre: Sulina, 2013.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LÉVY, Pierre. As Tecnologias da Inteligência. São Paulo: Loyola, 1993.

LOPES, Natalia Moura; ESCOLA, Joaquim José Jacinto. A Sociedade dos media: Comunicação e Tecnologias da Informação e Comunicação em Paul Virilio. In: Congresso da Lusocom, 8., 2009, Lisboa. Anais eletrônicos ... Lisboa, Federação Lusófona de Ciências da Comunicação, 2009. Disponível em: < https://bityli.com/tZJhCB>. Acesso em: 20 jul. 2022.

MONTEIRO, Márcio Wariss. A falácia da interatividade: crítica das práticas glocais na cibercultura. 2006. 128f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2006.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. 3 ed. Ijuí: Unijuí, 2016.

MORAIS, Ronaldo Queiroz. Paul Virilio: o pensador do instante contemporâneo. Revista Contexto & Educação, v. 17, n. 65, p. 37-54, 2002 jan./mar. 2013. Disponível em: <https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/1181>. Acesso em: 20 jul. 2022.

SOUZA, Karine Pinheiro; AQUINO, Renata; LIMA, Vagna Brito. Educação básica e as novas formas de aprender e ensinar na cibercultura. Revista Docência e Cibercultura. v. 5, n. 4, p. 14-23, dez. 2021. Disponível em <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/article/view/63834/40396>. Acesso em: 18 jul. 2022.

PRETTO, Nelson De Luca; PASSOS, Maria Sigmar Coutinho. Formação ou capacitação em TIC? Reflexões sobre as diretrizes da UNESCO. Revista Docência e Cibercultura, v. 1, n. 1, p. 9-32, set./dez. 2017. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/article/view/30490>. Acesso em: 20 jul. 2022.

RÜDIGER, Francisco. As teorias da cibercultura: perspectivas, questões e autores. 2 ed. Porto Alegre: Sulina, 2016.

SANTOS, Sonia Regina Mendes; FERREIRA, Diego; MANESCHY, Patricia. Concepções críticas sobre tecnologias digitais de informação e comunicação e processos de ensinar e aprender: contribuições possíveis para as práticas pedagógicas. Interfaces da Educação, v. 11, n. 32, p. 735-763, 2020. Disponível em: <https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/4786>. Acesso em: 20 jul. 2022.

SCHUHMACHER, Vera Rejane Niedersberg; ALVES FILHO, José de Pinho; SCHUHMACHER, Elcio. As barreiras da prática docente no uso das tecnologias de informação e comunicação. Ciência & Educação, v. 23, n. 3, p. 563-576, 2017. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/ciedu/a/CQDVrhwXNPYtWzyzSTk4XFf/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 18 jul. 2022.

SEMIÃO, Daniela; TINOCA, Luís. A utilização das tecnologias digitais nas aulas do século XXI. Revista Educação em Questão, v. 59, n. 61, p. 1-22 jul./set. 2021. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/25689>. Acesso em: 20 jul. 2022.

TRIVINHO, Eugênio. O mal-estar da teoria: a condição da crítica na sociedade tecnológica atual. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.

VIANA, Claudemir Edson. Pesquisa TIC Educação 2013 e os caminhos a percorrer na prática educomunicativa em contextos da cibercultura. In: Pesquisa sobre o uso das tecnologias da informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC Educação 2014. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2015. Disponível em: <https://www.cetic.br/media/docs/publicacoes/2/TIC_Educacao_2014_livro_eletronico.pdf>. Acesso em: 17 jul. 2022.

VIRILIO, Paul. Guerra pura: a militarização do cotidiano. São Paulo: Brasiliense, 1984.

ZIMMERMANN, Marlene Harger; MARTINS, Pura Lúcia Oliver. O Grupo focal na pesquisa qualitativa: relato de experiência. In: Congresso Nacional de Educação, 8., Curitiba. Anais eletrônicos ... Curitiba, CONEDU, 2008. Disponível em: <https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2008/211_86.pdf>. Acesso em 15 jun. 2019.

Downloads

Publicado

2023-12-13

Como Citar

CAVASSANI, Thiago Bernardo; MARQUES, Rosebelly Nunes. AS CONCEPÇÕES DOS LICENCIANDOS SOBRE AS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA RELAÇÃO DOS SUJEITOS COM O MUNDO: CONSIDERAÇÕES PARA A APROPRIAÇÃO PEDAGÓGICA DAS TDIC E FORMAÇÃO DOCENTE. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 7, n. 4, p. 393–408, 2023. DOI: 10.12957/redoc.2023.69427. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/69427. Acesso em: 21 maio. 2024.