Dialogando com Paulo Freire e Marielle Franco: um manifesto poético através de uma performance audiovisual

Autores

  • Danielle Christina do Nascimento Oliveira Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro - CAp UFRJ
  • Bianca de Menezes Castro da Silva SME - PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.61587

Palavras-chave:

Política. Produção Estética. Redes de conhecimentos.

Resumo

Neste artigo, apresentaremos um diálogo subjetivo entre dois personagens emblemáticos na atualidade, com corpos em fricção: Paulo Freire e Marielle Franco, que teve como objetivo a produção artística e cultural através da performance audiovisual com um manifesto poético sobre os pensamentos do primeiro e a vida da segunda, a partir da “metodologia do encontro”. O resultado deste trabalho foi a potência do encontro entre o simbólico de Marielle Franco e a perspectiva de Paulo Freire, nos demonstrando o quanto (sobre)viver é um ato político! Estes personagens deixaram suas vidas e obras como legado, ou melhor dizendo, sementes.

Biografia do Autor

Danielle Christina do Nascimento Oliveira, Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro - CAp UFRJ

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPEd-UERJ), licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), especialista em Educação das Relações Étnico-Raciais no Ensino Básico (Colégio Pedro II) e professora substituta do Setor de Educação Infantil do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CAp UFRJ). Membro do Grupo de Pesquisas Culturas e Identidades no Cotidiano (ProPEd-UERJ) e pesquisadora/colaboradora do Grupo de Estudos e Extensão Currículo em Movimento na Educação Infantil (CEIMOV-UFRJ). Desenvolve pesquisa em educação das relações étnico-raciais, espaços formativos, experiências interseccionais cotidianas e formação de professores.

Bianca de Menezes Castro da Silva, SME - PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPEd-UERJ), licenciada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e professora da Educação Básica no município do Rio de Janeiro -RJ (Anos iniciais). Desenvolve pesquisa em educação básica, cotidiano escolar e produção estética.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Editora Jandaíra, 2020.

ALVES, Nilda Guimarães. Imagens de professoras e redes cotidianas de conhecimentos. Educar em Revista, Curitiba: Editora UFPR, n.24, 2004, p. 19-36.

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho – o cotidiano na escola nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda. Pesquisa no/do cotidiano das escolas – sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP & A, 2001.

BUTLER, Judith. Quadro de guerra. Quando a vida é passível de luto? Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015, p. 13-53.

COLLINS, Patrícia Hill. Aprendendo com a outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro. In: Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, p. 99-127, jan./abr. 2016.

COURTINE, Jean-Jacques. Decifrar o corpo: pensar com Foucault. Petrópolis, Rj: Vozes, 2013.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão; tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis, vozes, 1987, 288p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP. 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 44ª ed. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013. ISBN: 978-85-7753-163-9.

GOES, Emanuelle Freitas; RAMOS, Dandara de Oliveira; FERREIRA, Andreia Jaqueline Fortes. Desigualdades raciais em saúde e a pandemia da Covid-19. In: Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, 2020, e00278110. DOI: 10.1590/1981-7746- sol00278.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença – o que o sentido não consegue transmitir. Tradução de Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto e PUC-Rio, agosto de 2010.

PASSOS, Mailsa Carla Pinto. Encontros cotidianos e a pesquisa em Educação: relações raciais, experiência dialógica e processos de identificação. Educar em Revista, Curitiba: Editora UFPR, n. 51, jan./mar. 2014, p. 227-242.

SOUZA, Claudete Alves da Silva. A solidão da mulher negra: sua subjetividade e seu preterimento pelo homem negro na cidade de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

Downloads

Publicado

2021-10-13

Como Citar

OLIVEIRA, Danielle Christina do Nascimento; SILVA, Bianca de Menezes Castro da. Dialogando com Paulo Freire e Marielle Franco: um manifesto poético através de uma performance audiovisual. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 31–39, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.61587. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/61587. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Produções Artísticas, Literárias e Culturais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)