Infância, educação e aprendizagem: reflexões a partir da obra Como Estrelas na Terra: toda criança é especial

Claudia Milanez Sachet, Talita Duarte de Jesus, Carlos Renato Carola

Resumo


Este artigo se propõe a dialogar a respeito do filme Como estrelas na terra: toda criança é especial, de Aamir Khan, com vistas a refletir sobre as concepções de infância, educação e aprendizagem representadas pelos sujeitos da sociedade retratada na obra. Observou-se, por meio da análise, que Ishaan, personagem principal do filme, vive a infância com entusiasmo, protagonismo e criatividade, aspectos inerentes ao ser criança. O garoto observa e admira o mundo, surpreende-se, indaga, estranha e cria. No entanto, vive em uma sociedade dotada de valores burgueses sob uma lógica da engrenagem capitalista mundial. Desse modo, não há tempo para ser criança como Ishaan, porque é preciso formar-se, emoldurar-se conforme tempos e padrões pré-estabelecidos. Analisou-se, pois, que a concepção idealizada pela sociedade na qual o menino vive é contrária àquela vivenciada por ele. Na escola, retrata-se uma organização tradicional não apenas a partir da figura do docente, mas também na organização curricular e estrutural das salas de aulas. Isso acaba fazendo com que aqueles que diferem do proposto sejam excluídos, como Ishaan, que, por ser disléxico e não conseguir acompanhar o ritmo das atividades, é inferiorizado.


Palavras-chave


Infância; Educação; Aprendizagem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2023.69271

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional