A ameaça “fantasma” da privatização à educação básica pública na Amazônia paraense

Fabrício Aarão Freire Carvalho, Andréa Barbosa Gouveia

Resumo


A pesquisa bibliográfica e documental, teve por objetivo analisar o papel do Estado, a partir da lógica de financiamento proposta pelas novas regulamentações voltadas para Educação Básica e o seu efeito indutor no processo de mercantilização/privatização da educação pública paraense no período de 2013 a 2018. Trata-se de pesquisa qualitativa do arcabouço legal voltado para a regulamentação da educação básica da Amazônia paraense, privilegiando os dados educacionais de oferta da educação básica e da execução orçamentária do Estado. A análise dos dados revelou tendências de encolhimento do setor público e de avanços do setor privado na oferta da educação básica no acesso ao fundo público. O Estado desempenhou um papel importante viabilizando um conjunto de medidas legais que intensifica a lógica da racionalidade financeira para a educação, permitindo avanço “silencioso” do processo de privatização da educação básica, destinação de recursos financeiros públicos para a iniciativa privada e estabelecimento das parcerias público-privadas no estado

Palavras-chave


Política Educacional, Educação Básica; Financiamento; Mercantilização/Privatização

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2020.49562

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional