Ativismo em rede e pedagogia decolonial articulados por mulheres negras no YouTube

Tatiana Santos da Paz, Eduardo Santos Junqueira Rodrigues

Resumo


Este trabalho demonstra como o ativismo em rede de mulheres negras vlogueiras no YouTube articula processos associados a uma pedagogia decolonial. A pesquisa qualitativa abrangeu o estudo de três canais de mulheres negras no YouTube, onde foram coletados dados sobre 32 vídeos publicados e sobre as demais interações que ocorreram entre elas e seguidores dos canais. A coleta de dados foi realizada através da realização de entrevistas semiestruturadas com as mesmas e da observação das atividades ocorridas nos canais. Esse ativismo produziu aprendizagens para elas e para os seguidores dos canais na perspectiva de uma pedagogia decolonial, que ocorreu particularmente ao questionarem e debaterem sobre os padrões estéticos de beleza construídos na base de uma sociedade racista e excludente.


Palavras-chave


Ativismo em rede, Pedagogia Decolonial, Mulheres negras

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2019.43059

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional