BIOPOLÍTICA: UM DIÁLOGO COM A(S) INFÂNCIA(S)

Monique Cristina Francener Hammes Schütz, Gicele Maria Cervi, Mirele Corrêa

Resumo


Esta pesquisa é caracteriza-se como sendo qualitativa, bibliográfica, que tem por objetivo problematizar a infância na sociedade contemporânea, reconhecendo esse período da vida como dispositivo de controle sobre os corpos que evidenciam-se nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Os principais autores que fundamentam esta pesquisa são Foucault, Deleuze, Bujes e Gondra. Por meio de uma trajetória histórica desde a Sociedade Soberana passando pela Disciplinar, a pesquisa busca conceituar a atual sociedade de Biopolítica e evidencia que as formulações de infância não são isentas de poder, são efeitos dos jogos de poder e vontades de saber que controlam e regulam condutas.

 

DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.25073


Palavras-chave


Sociedade; Biopolítica; Infância; Poder

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.25073

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional