ANALOGIAS CURRICULARES: O ENSINO DA HISTÓRIA E CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA NO BRASIL E O ENSINO DA HISTÓRIA E CULTURA AFRICANA E MOÇAMBICANA EM MOÇAMBIQUE

Alípio Márcio Dias Casali

Resumo


Apoiado teoricamente no conceito de universalidade análoga e empiricamente numa pesquisa de campo junto a Pesquisadores e a Escolas em Moçambique, o presente artigo faz uma análise crítica acerca dos fundamentos do ensino de História e Cultura Africana e Afro-Brasileira no Brasil e o ensino de História e Cultura Africana e Moçambicana em Moçambique. Afirma, conclusivamente, que a factibilidade e a efetividade de um currículo intercultural, democrático, emancipatório e de boa qualidade social passam pela superação do eurocentrismo e pelo consequente reconhecimento do valor da história e da diversidade que constituem a identidade do currículo no Brasil e em Moçambique.

DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.24826


Palavras-chave


Analogias curriculares; Cultura Afro-brasileira; Historia de Moçambique.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.24826

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional