NOVELOS DE INTERAÇÕES CAÓTICAS EM UMA COMUNIDADE VIRTUAL DE PRÁTICA DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

Daniela Mendes Vieira da Silva, Agnaldo da Conceição Esquincalha

Resumo


No presente artigo apresentamos e analisamos uma coletânea de Novelos de Interações Caóticas (NIC) de professores que ensinam Matemática em uma comunidade virtual de prática (CVP), com o objetivo de observar elementos da constituição sua identidade profissional (IP) neste contexto. Para tanto, registramos seis meses de interações da CVP considerada e as categorizamos e analisamos inspirados na análise temática de conteúdo. A análise das Interações Caóticas (IC) dos participantes ativos na comunidade virtual de prática considerada remeteu-nos a uma aprendizagem não linear, não estruturada, caótica e intensa. Compreendemos que o aprendizado que advêm de tais IC se dá de maneira ubíqua. Encontramos, nas três categorias que emergiram da nossa análise, a saber: Apoio Mútuo, Repositório de práticas para o ensino chanceladas e Reconhecimento Profissional, como elementos de constituição da identidade docente, a vulnerabilidade e o sentido de agência em uma perspectiva coletiva. Ambos se dão em um ambiente ubíquo, dentro deste contexto virtual no qual as pessoas estão conectadas/integradas o tempo todo via dispositivos móveis.


Palavras-chave


Comunidade Virtual de Prática. Professores que ensinam Matemática. Identidade Profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, Douglas Carvalho. POTENCIAL PEDAGÓGICO DO APLICATIVO WHATSAPP NO ENSINO DE BIOLOGIA: percepções dos professores. Revista Docência e Cibercultura, [S.L.], v. 4, n. 2, p. 21-42, 18 ago. 2020. Universidade de Estado do Rio de Janeiro. http://dx.doi.org/10.12957/redoc.2020.49789. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/article/view/49789. Acesso em: 03 maio 2022.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

CYRINO, Márcia Cristina de Costa Trindade. Mathematics Teachers’ Professional Identity Development in Communities of Practice: reifications of proportional reasoning teaching. Bolema: Boletim de Educação Matemática, [S.L.], v. 30, n. 54, p. 165-187, abr. 2016. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1980-4415v30n54a08.

GIRALDO, Victor. Formação de professores de Matemática: para uma abordagem problematizada. Ciência e Cultura, [S.L.], v. 70, n. 1, p. 37-42, jan. 2018. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.21800/2317-66602018000100012.

LAGO, Daise; BORBA, Marcelo de Carvalho. Seres humanos-com-internet ou internet-com-seres humanos: uma troca de papéis?. Revista Latinoamericana de Investigación En Matemática Educativa, [S.L.], v. 19, n. 2, p. 217-242, 31 jul. 2016. Revista Latinoamericana de Investigacion en Matematica Educativa (RELIME). http://dx.doi.org/10.12802/relime.13.1924.

LAVE, Jean.; WENGER, Etienne. Situated learning: legitimate peripheral participation. New York: Cambridge University Press, 1991.

LEVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MISKULIN, Rosana Giaretta Sguerra. Comunidades de prática virtuais: possíveis espaços formativos de professores que ensinam Matemática. In: Encontro Nacional de Educação Matemática, 10, 2010, Salvado. Anais... Salvador: SBEM, 2010.

MENDES, Rosana Maria; MISKULIN, Rosana Giaretta Sguerra. A análise de conteúdo como uma metodologia. Cadernos de Pesquisa, [S.L.], v. 47, n. 165, p. 1044-1066, set. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/198053143988. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/ttbmyGkhjNF3Rn8XNQ5X3mC/?lang=pt. Acesso em: 02 maio 2022.

MOREIRA, José Antônio; TRINDADE, Sara Dias. O whatsapp como dispositivo pedagógico para a criação de sistemas educomunicativos. In: PORTO, C.; OLIVEIRA, K. E.; CHAGAS, A. (Org.). WhatsApp e Educação. Salvador: EDUFBA. 2017. p. 49-68.

OLIVEIRA, Carloney Alves. Entre processos formativos e interativos: O WhatsApp como espaço significativo na orientação e formação. In: PORTO, C.; OLIVEIRA, K. E.; CHAGAS, A. (Org.). WhatsApp e Educação. Salvador: EDUFBA. 2017. p. 217-234.

PAULA, Enio Freire de; CYRINO, Márcia Cristina Trindade de Costa. Identidade profissional de professores que ensinam Matemática: panorama de pesquisas brasileiras entre 2001-2012. Zetetike, [S.L.], v. 25, n. 1, p. 27, 30 abr. 2017. Universidade Estadual de Campinas. http://dx.doi.org/10.20396/zet.v25i1.8647553. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8647553. Acesso em: 03 maio 2022.

PEIXOTO, Reginaldo; OLIVEIRA, Eloisa Elena de Moura Santos. AS MÍDIAS DIGITAIS NO CONTEXTO DA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA: influências na educação escolar. Revista Docência e Cibercultura, [S.L.], v. 5, n. 1, p. 80-96, 25 jan. 2021. Universidade de Estado do Rio de Janeiro. http://dx.doi.org/10.12957/redoc.2021.53905.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTAELLA, Lucia. Pós-humano: por quê?. Revista Usp, [S.L.], n. 74, p. 126, 1 ago. 2007. Universidade de Sao Paulo, Agencia USP de Gestao da Informacao Academica (AGUIA). http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i74p126-137.

SANTAELLA, Lúcia. A aprendizagem ubíqua substitui a educação formal?. Revista de Computação e Tecnologia da PUC-SP, v. 2, n. 1, p. 17-22, Out. 2010.

SANTAELLA, Lucia. A aprendizagem ubíqua na educação aberta. Revista Tempos e Espaços em Educação, [S.L.], p. 15-22, 30 dez. 2014. Revista Tempos e Espacos em Educacao. http://dx.doi.org/10.20952/revtee.v0i0.3446.

SANTOS, Edmea. Cibercultura e Pesquisa-Formação na Prática Docente. 2005. (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

SANTOS, Rosemary. A tessitura do conhecimento via Mídias Digitais e Redes Sociais: Itinerâncias de uma Pesquisa-formação multirreferencial. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

SANTOS, Rosemary.; CARVALHO, Felipe da Silva Ponte; MADDALENA, Tânia. Lúcia. Conversas Ubíquas via WhatsApp: Ambiências Formativas Multirreferenciais. In: PORTO, C.; OLIVEIRA, K. E.; CHAGAS, A. (Org.). WhatsApp e Educação. Salvador: EDUFBA. 2017. p. 193-216.

SILVA, Daniela Mendes Vieira da, ESQUINCALHA, Agnaldo da Conceição, & GIRALDO, Victor Augusto. (2019). Estado do Conhecimento sobre Comunidades Virtuais de Prática em Dissertações e Teses Brasileiras. EaD Em Foco, 9(1). https://doi.org/10.18264/eadf.v9i1.766

SILVA, Daniela Mendes Vieira; ESQUINCALHA, Agnaldo da Conceição. A tessitura do conhecimento em grupos de WhatsApp. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, v. 20, n. 1, p. 1-27, mar. 2021. http://seer.abed.net.br/index.php/RBAAD/article/view/465. https://doi.org/10.17143/rbaad.v20i1.465

SILVA, Maria Jeane Souza de Jesus; DIAS, Geisa Araújo; ANECLETO, Úrsula Cunha. GÊNERO MEME E FORMAÇÃO DO HIPERLEITOR POR MEIO DA SEQUÊNCIA DIDÁTICA INTERATIVA. Revista Docência e Cibercultura, [S.L.], v. 5, n. 1, p. 117-137, 25 jan. 2021. Universidade de Estado do Rio de Janeiro. http://dx.doi.org/10.12957/redoc.2020.53029.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2022.62624

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.