A FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE EDUCADORES MUSEAIS: PROJETO EM CONSTRUÇÃO

Autores

  • Andréa Fernandes Costa Museu Nacional - Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola de Museologia - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2019.44693

Palavras-chave:

Educação Museal. Perfil dos educadores museais. Formação inicial. Formação continuada.

Resumo

O entendimento acerca das especificidades da função educativa dos museus passou por importantes transformações, mas pouco se avançou no que diz respeito à formação dos educadores museais. A literatura sobre o tema aponta para o predomínio da formação no desenvolver da própria prática profissional e destaca a pouca presença de instâncias acadêmicas voltadas para a formação dos mesmos. No presente artigo abordaremos discussões acerca do perfil dos educadores museais, das práticas e dos desafios referentes à formação inicial e continuada destes, tanto no cenário nacional quanto no internacional. Fazemos considerações acerca de iniciativa voltada à formação de profissionais nesse campo em nível de pós-graduação, bem como de ações em diferentes formatos desenvolvidas mais recentemente no Rio de Janeiro. 

Biografia do Autor

Andréa Fernandes Costa, Museu Nacional - Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola de Museologia - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Graduada em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2004), Mestre (2009) e Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGEdu/UNIRIO. Atualmente é Professora Assistente do Departamento de Estudos e Processos Museológicos e da Escola de Museologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, bem como Educadora na Seção de Assistência ao Ensino do Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro (MN-UFRJ). Realiza atividades de pesquisa no campo da Educação Museal e na área da Divulgação Científica. Participa da concepção, execução e avaliação de programas, projetos e ações de educação museal e de popularização da ciência. Atua principalmente nos seguintes temas: estudos de público e avaliação em museus, mediação humana, acessibilidade cultural, colaboração museu-escola e inclusão sociocultural. Faz parte do Comitê Gestor da Rede de Educadores em Museus do Rio de Janeiro (REM-RJ), integra a Câmara de Formação do Sistema de Museus da UFRJ (SIMAP), a Equipe do Museu de Ideias - a Educação em Debate (Museu da Vida, Museu de Astronomia e Ciências Afins, Museus Castro Maya, Museu Nacional e Museu Casa de Rui Barbosa), bem como o Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia - OMCC&T, programa de pesquisa e serviços sobre os museus e instituições afins, fruto da parceria entre o Museu da Vida, Casa de Oswaldo Cruz, Museu de Astronomia e Ciências Afins, Museu Nacional - UFRJ, Museu do Universo, Espaço UFF de Ciências e Museu Aeroespacial.

Referências

ALENCAR, V. O mediador cultural: considerações sobre a formação e profissionalização de educa¬dores de exposições e museus de arte. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Artes, São Paulo, 2008.

CARLÉTTI, Chrystian; MASSARANI, Luisa. Mediadores de centros e museus de ciência: um estudo sobre quem são estes atores-chave na mediação entre a ciência e o público no Brasil. Journal of Science Communication, v. 14, n. 2, p. 1-17, 2015.

DOBBS, Stephen M.; EISNER, Elliot W. The Uncertain Profession: Educators in American Art Museums. Journal of Aesthetic Educacion. v.21, n.4, 1987.

FRECHEIRAS, Kátia; CASTRO, Fernanda. A PNEM e os subsídios para profissionais, formação e pesquisa: relato de uma experiência acadêmica. In: TOJO, Joselaine M.; AMARAL, Lilian (orgs.). Rede de Redes– diálogos e perspectivas das redes de educadores de museus no Brasil, São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.sisemsp.org.br/redederedes> Acesso em: 18 ago 2019.

GOMES, Isabel; CAZELLI, Sibele. Formação de Mediadores em Museus de Ciência: Saberes e Práticas. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v.18, n.1, p.23-46, mar. 2016.

IBRAM. Plano Nacional Setorial de Museus - 2010/2020. Ministério da Cultura, Instituto Brasileiro de Museus: Brasília, DF: MinC/Ibram, 2010.

IBRAM. Documento Final da Política Nacional de Educação Museal. Brasília, DF: Instituto Brasileiro de Museus, 2017.

IPHAN. Política Nacional de Museus. Brasília, DF: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2003.

MARANDINO, Martha (org.). Educação em museus: a mediação em foco. São Paulo, SP: Geenf / FEUSP, 2008a.

MARANDINO, Martha. Ação educativa, aprendizagem e mediação nas visitas aos museus de ciências. In: In: MASSARANI, L.; ALMEIDA, C. (Ed.). Workshop Sul-Americano & Escola de Mediação em Museus e Centros de Ciência. Rio de Janeiro: Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2008b. p. 21-28.

OLIVEIRA, Maria Genoveva M. Educação nos Museus de Arte Moderna e Contemporânea Portugueses: um lugar do feminino? In: SEMEDO, Alice; NASCIMENTO, Elisa N. (coord.) Actas do I Seminário de Investigação em Museologia dos Países de Língua Portuguesa e Espanhola. Porto: Universidade do Porto, 2010, vol.2.

RASMUSSEN; Briley; WINTERRWOWD, Scott. Professionalizing Practice. Journal of Museum Education, v.37, n.2, p7-11, 2012.

RIVIÈRE, Georges-Henri. Stage régional d'études de l'Unesco sur le rôle éducatif des musées. Paris: UNESCO, 1958.

SOUZA, Renata do N. de. O pedagogo e os espaços não escolares: a atuação nos museus. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Educação, Rio de Janeiro, 2016.

TRAN, Lynn U. The professionalization of educators in science museums and centers. Journal of Science Communication, v.7, n.4, 2008.

ZOLBERG, Vera L. Barreira ou nivelador? O caso do museu de arte. In: LAMONT, Michèle; FOURNIER, Marcel (orgs.) Cultivando diferenças: fronteiras simbólicas e a formação da desigualdade. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2015.

Downloads

Publicado

2019-09-01

Como Citar

COSTA, Andréa Fernandes. A FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE EDUCADORES MUSEAIS: PROJETO EM CONSTRUÇÃO. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 67–89, 2019. DOI: 10.12957/redoc.2019.44693. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/44693. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo Seção Temática