Logos

A Logos foi criada em 1990 para oferecer um espaço de difusão da produção acadêmico-científica na área de Comunicação no país. Foi uma publicação impressa até 2007. Em 2004 ganhou também uma versão eletrônica. Desde 2007, tornou-se inteiramente online e recebeu um e-ISSN, mantendo a periodicidade semestral. Seu objetivo editorial é colaborar com a consolidação da produção científica na área de Comunicação através da publicação de textos frutos de pesquisa e/ou de reflexões aprofundadas de pares e de pesquisadores de instituições reconhecidas no Brasil e no exterior.

e-ISSN: 1982-2391 | ISSN: 0104-9933 | Ano de criação: 1990 - impresso, 2007 - eletrônico | Área do conhecimento: Comunicação | Qualis: B1 (Comunicação e Informação)


Acesse a Edição Atual

Notícias

 

Chamada de submissões para o Dossiê "Metamorfoses: proposições para conter a desertificação do planeta"

 

A ideia básica dessa edição da Revista Logos é discutir o lugar e o papel da comunicação diante da certeza de que o investimento da nossa era no antropoceno conseguiu desenhar de maneira indelével o exaurimento do planeta e consequentemente o extermínio da vida humana pelo menos nas bases conhecidas até os dias atuais.

Todo este processo de mudança, em que uma forma de vida dá lugar a novas formas, tem sido nomeado por Metamorfose, concebido como um processo de surgimento de novas composições. Este conceito apresenta em si mesmo uma proposição de mudança, entretanto diferente da estrutura até então conhecida, como algo progressivo, que ao final resultasse em algo totalmente novo. Essa ideia mais conservadora de revolução e de transformação faz sentido dentro de um contexto social em que está embutida a visão de progresso, de causa e consequência, até mesmo de mérito, numa cadeia evolutiva na qual os mais aptos, fortes e adaptáveis ocupariam o lugar dos ineptos e frágeis.

Algumas pistas se inserem como propostas para reflexão:

  1. Como a comunicação se insere no mundo Metamórfico?
  2. Que projetos de comunicação podem viabilizar o cenário metamórfico?
  3. Quais planejamentos são possível fazer a nível individual e coletivo?
  4. Qual o lugar da inclusão e da convivialidade nesse cenário ainda fazem sentido?
  5. Quais estruturas centradas no capital podem ser analisadas?
  6. Como fica a questão da mobilidade em um mundo metamórfico?
  7. Ruínas, metamorfose, barbárie ou conflagração?
  8. Qual o papel e lugar das ciências, dos saberes populares e das teorias subjugadas.

 

As datas importantes são:

Envio dos originais: de 15/11 até 31/12.

Envio dos aceites: até 01/02/23.

Lançamento da edição: fevereiro/março de 2022.

 
Publicado: 2022-11-19
 
Outras notícias...

v. 28, n. 2 (2021): Corpos, performances e autenticidade na cultura digital e visual


Capa da revista