Violência obstétrica em serviços de saúde: constatação de atitudes caracterizadas pela desumanização do cuidado [Obstetric violence in health services: verification of attitudes characterized by dehumanization of care] [Violencia obstétrica en servicios de salud: constatación de actitudes caracterizadas por la deshumanización del cuidado]

Larissa Lages Ferrer de Oliveira, Ruth França Cizino da Trindade, Amuzza Aylla Pereira dos Santos, Bárbara Régia Oliveira de Araújo, Laura Maria Tenório Ribeiro Pinto, Lucas Kayzan Barbosa da Silva

Resumo


Objetivo: identificar na produção científica, práticas e atitudes pertinentes a assistência à saúde da mulher no ciclo gravídico-puerperal que podem ser caracterizados enquanto violência obstétrica. Método: trata-se de uma revisão integrativa de literatura realizada nos bancos de dados SCIELO, LILACS e CINAHL nos meses de setembro a outubro de 2018. Resultados: da amostra inicial resultante da inserção da estratégia de descritores nas bases de dados, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, selecionou-se 12 artigos para análise na íntegra, resultando nas seguintes categorias: “Relações de poder e a violência impulsionada pelo gênero e pela classe”; “A relação profissional-paciente: Desumanização, medicalização e patologização do processo reprodutivo - a Violência Obstétrica”. Conclusão: a constatação de atitudes caracterizadas pela desumanização do cuidado, medicalização e patologização de processos naturais e pela violência de gênero demonstram a necessidade importante do combate a violência obstétrica, na busca por uma assistência digna e de qualidade a mulheres e recém-nascidos.

ABSTRACT

Objective: to examine scientific publications to identify practices and attitudes relevant to women's health care in the pregnancy-puerperal cycle that can be characterized as obstetric violence. Method: this integrative literature review was conducted in the SCIELO, LILACS and CINAHL databases for the period from September to October 2018. Results: from the initial sample resulting application of the descriptor strategy to the databases, after applying the inclusion and exclusion criteria, 12 articles were selected for full analysis, which resulted in the following categories: "Power relations and violence driven by gender and class"; "The professional-patient relationship: dehumanization, medicalization and pathologization of the reproductive process – Obstetric Violence". Conclusion: the attitudes characterized by dehumanization of care, medicalization and pathologization of natural processes and gender violence demonstrate the important need to combat obstetric violence in order to achieve appropriate, quality care for women and newborns.

RESUMEN

Objetivo: identificar en la producción científica, prácticas y actitudes pertinentes a la asistencia a la salud de la mujer en el ciclo embarazo-puerperio que pueden ser caracterizadas como violencia obstétrica. Método: se trata de una revisión integrativa de literatura realizada en los bancos de datos SCIELO, LILACS y CINAHL en los meses de septiembre a octubre de 2018. Resultados: de la muestra inicial resultante de la inserción de la estrategia de descriptores en las bases de datos, tras la aplicación de los resultados los criterios de inclusión y exclusión, se seleccionaron 12 artículos para análisis en su totalidad, resultando en las siguientes categorías: "Relaciones de poder y la violencia impulsada por el género y por la clase"; "La relación profesional-paciente: Deshumanización, medicalización y patologización del proceso reproductivo - la Violencia Obstétrica". Conclusión: la constatación de actitudes caracterizadas por la deshumanización del cuidado, medicalización y patologización de procesos naturales y por la violencia de género demuestran la necesidad importante del combate a la violencia obstétrica, en la búsqueda de una asistencia digna y de calidad a mujeres y neonatos.


Palavras-chave


Violência; Saúde da Mulher; Enfermagem; Humanização da assistência

Texto completo:

PDF(POR) PDF(ENG) (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/reuerj.2019.38575