MULHERES EM REVISTA: REPRESENTAÇÃO CORPORAL NO IMAGINÁRIO SOCIAL

Mariana Fernandes Costa, Jorge Coelho Soares

Resumo


O objetivo foi analisar anúncios de alimentos e bebidas que contêm a figura corporal feminina veiculados nas revistas Seleções do Reader’s Digest, no período de 1944-1948, e Claudia, de 2004-2008. O foco foi dado à análise semiótica dos anúncios para compreender o imaginário social da figura feminina em dois momentos. Foram identificados 82 anúncios de alimentos e bebidas, sendo 33 de Seleções e 49 de Claudia. A representação corporal da mulher foi organizada em duas categorias: imagem multifuncional e percepção corporal. No imaginário dos anúncios de Seleções transitam dois tipos de mulher: “mulher tradicional” – dona de casa (37,5%), esposa (20,83%); e “mulher moderna” – alegre (37,5%), sensual (20%) – que representam apenas um modelo de mulher: a “rainha do lar”. Esses anúncios falam de relacionamentos, filhos e como agradar ao marido através da comida. Na revista Claudia, os mesmos papéis são executados, entretanto, constatamos um “avanço” no perfil mulher (35,21%) ao longo das décadas: uma mulher que aparece inserida no mercado de trabalho (9,86%), alegre (26,04%), de corpo mais saudável (22,92%) e belo (21,87%), com um padrão de estética e beleza exposto e/ou imposto pela sociedade. Além disso, observou-se um aumento da imagem de mãe (23,94%) nos anúncios, retratando a influência da mulher no consumo infantil. Portanto, podemos chamar a mulher dos dias atuais de “mulher hipermoderna”, que além de exercer os papéis sociais de mãe-esposa-dona de casa-mulher-profissional, passou a um estágio superior de modernização.

DOI: 10.12957/demetra.2016.20765

 


Palavras-chave


corpo, imaginário, representação, anúncios, gênero

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2016.20765

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.