LIBEREM A DIETA

Elaine de Azevedo

Resumo


Este ensaio pretende explorar as chamadas dietas restritivas ou free diets (com foco para a dieta isenta de glúten e lactose – as gluten e lactose free diets) a partir de uma abordagem sociocultural. Para cumprir tal objetivo, são mobilizados diferentes autores das áreas da Antropologia e Sociologia da Alimentação e da Nutrição. Uma breve retrospectiva sobre diferentes alimentos que vêm sofrendo algum tipo de restrição entre os especialistas em Nutrição – leite materno, ovos, banha, manteiga, leite, trigo, carnes – endossa a discussão. Percebe-se que cultura, localidade e ajuste territorial são dimensões ignoradas na construção social do conceito de dieta saudável sob tal perspectiva restritiva que supervaloriza os nutrientes em detrimento dos alimentos, fomenta a culpa e a ideia de uma alimentação restritiva e individualizada, apoiada na visão biológica da saúde, desprovida de valores afetivos, ambientais, culturais, políticos e sociais. Além disso, tal abordagem acaba apoiando a industrialização dos alimentos e a medicalização da Nutrição.

DOI: 10.12957/demetra.2015.13993

 

 

 


Palavras-chave


cultura; alimentação; dieta; glúten; lactose

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2015.13993

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.