A DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL NA ESCOLA: UM CONTRIBUTO PARA EFETIVAR A EDUCAÇÃO DIFERENCIADA EM TERRITÓRIOS QUILOMBOLAS NA PARAÍBA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2023.72000

Palavras-chave:

, Educação quilombola, relações étnico-raciais, diversidade curricular.

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar os resultados de uma pesquisa realizada em escolas públicas municipais em territórios quilombolas, no estado da Paraíba, sobre os desafios para implementar a legislação que efetiva a educação escolar quilombola no referido município, com o fim de compreender a relação entre a diversidade étnico-racial, no processo de escolarização dos estudantes, e o currículo escolar da educação quilombola. Trata-se de uma pesquisa exploratória, realizada no âmbito escolar, cujos participantes foram professores do ensino fundamental de três instituições de ensino inseridas na Mesorregião do Litoral Sul paraibano. Os resultados apresentados, a priori, apontaram que a escola tem dificuldades de ofertar uma educação diferenciada nesses territórios, já que é influenciada por processos coloniais e pelas políticas educacionais de cunho neoliberal. Como consequência desse fato, negligencia-se o currículo escolar e prevalecem as distorções em sua efetivação nas práticas educativas.

Biografia do Autor

Vilma Helena Malaquias, "Universidade Federal da Paraiba

Professora da Educação Básica, na Secretaria Municipal de Educação. Especialiste em Psicopedagogia. E Mestre em Educação pela UFPB.

Ana Claudia Silva Rodrigues, Universidade Federal da Paraíba Centro de Educação Programa de Pós Graduação em Educação

Pedagoga e professora doutora do Programa de Pós Graduação em Esucação, (PPGE), da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

BALL, J. Stephen; MAGUIRE, Meg; BRAUN, Annet. Como as escolas fazem políticas. Tradução de Janet Bridon. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2016.

BALL, S. J. Educational reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994.

BARCELLOS, R.; COLLADO, C.; LUCIO, M. Entrevistas. In: BARCELLOS, R.; COLLADO, C.; LUCIO, M. Metodologia de Pesquisa. Porto Alegre: Penso, 2013.

BONIN, T. I. Educação escolar indígena. In: BERGAMASCHI, M. P.; ZEN, M. I. H.; XAVIER, M. L. M. F (org.). Povos indígenas e educação. Porto Alegre: Ed. Mediação, 2012.

BOWE, R.; BALL, S.; GOLD, A. Reforming education & changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

BRASIL. Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CNE). Texto- referência para a elaboração das Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação escolar quilombola. CNE, Brasília, DF: CNE, 2011.

BRASIL. Constituição Federal Brasileira de 1998. 19. ed. São Paulo: Saraiva, 1998.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação escolar quilombola na Educação Básica. Resolução CEB n. 08/2012/b.

BRASIL. Fundação Cultural Palmares (FCP). Disponível em: http://www.palmares.gov.br/. Acesso em: 2 ago. 2018.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Estudo exploratório sobre o professor brasileiro: com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2007. Brasília, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/ estudoprofessor.pdf. Acesso em: 20 ago. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira Africana e Indígena. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 48, p. 11 mar.2008.

BRASIL. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Síntese de indicadores sociais - 2017. Rio de Janeiro: IBGE. Coordenação de População e Indicadores Sociais, 2017.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Inclui a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo oficial da rede de ensino. Diário Oficial da União, Brasília, 2003.

BRASIL. Projeto de Lei nº 8.035/2010. Plano Nacional de Educação 2010 – 2020. Brasília – DF, 2010. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposiçõesWeb/fichadetramitação?id Proposição=49011. Acesso em: 15 nov. 2019.

CUNHA JUNIOR, Henrique. Pesquisas educacionais em temas de interesse dos afro-brasileiros. In: LIMA, Ivan Costa et al. (org.). Os negros e a escola brasileira. Nº 6, Florianópolis: Núcleo de Estudos Negros (NEN), 1999.

FLORES, Elio Chaves. Indígenas, religiões afro-brasileiras, quilombolas, ciganos. In: FONSECA, Ivonildes da Silva; RODRIGUES, Janine Marta Coelho; BARCELLOS, Lusival Antonio; FARIAS, Eliane Silva de (org.). Diversidade Paraíba. João Pessoa: Editora Grafset, 2014.

FLORES, Elio; FONSECA, Ivonildes; RODRIGUES, Janine Marta; BARCELLOS, Lusival; FARIAS, Eliane. Diversidade Paraíba: Indígenas - Religiões Afro-brasileiras - Quilombolas – Ciganos. João Pessoa: Editora Grafset, 2014.

FONSECA, I. S. S. (org.). População negra na Paraíba: educação, história e política. Movimento negro da Paraíba: breve histórico. In: ROCHA, S. P. da; FONSECA, I. Campina Grande: Editora da UFCG, 2010, v. 1.

FONSECA, Marcus Vinicius. As primeiras práticas educacionais com caraterísticas modernas. Rio de Janeiro: Fundação Ford/ANPED, 2000.

FONSECA, Marcus Vinicius; SILVA, Carolina Mostaro Neves da; FERNANDES, Alexsandra Borges. (orgs). Relações étnico-raciais e educação no Brasil. Belo Horizonte: Editora Mazza Edições, 2011, p. 61.

HALL, Stuart. Identidades Culturais na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A 2011.

IANN I, O. A era do globalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997.

INEP. Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Indicadores Educacionais. Brasília, 2019. Disponível em: http://portal.inep. gov.br/indicadoreseducacionais. Acesso em: 20 set. 2019.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Indicadores de mostra de inflação para famílias com menor renda. 2017. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/mestrado-profissional-em-politicas-publicas-e-desenvolvimentodesafios/index.php?option=com_content&view=article&id=2356:catid=28&Itemid=23. Acesso em: 19 jul. 2021.

JACCOUD, L. Racismo e República: o debate sobre o branqueamento e a discriminação racial no Brasil. In: THEODORO, M. (org.). As políticas públicas e as desigualdades raciais no Brasil 120 anos após a abolição. Brasília: IPEA, 2008.

JACCOUD, Luciana; BEGHIN, Nathalie. Desigualdades raciais no Brasil: um balanço da intervenção governamental. Brasília: IPEA, 2002.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

RICHARDSON, Robert Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas 3. ed. São Paulo: Atlas 2009.

ROSENTHAL, Gabriele. Pesquisa Social Interpretada: uma introdução. Porto Alegre: Edipucrs, 2014.

SANDIN ESTEBAN, M. P. Pesquisa Qualitativa em Educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: Artmed, 2010.

SILVA, Francisco Thiago. Currículo Festivo e Educação das Relações Raciais. Rio Grande: Pluscom Editora. 2015.

SOUZA, R. F. de. A difusão da escola primária em Campinas. In: NASCIMENTO, T. A. Q. R. et al. Memória da educação. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

Downloads

Publicado

20-11-2023

Como Citar

MALAQUIAS, Vilma Helena; RODRIGUES, Ana Claudia Silva. A DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL NA ESCOLA: UM CONTRIBUTO PARA EFETIVAR A EDUCAÇÃO DIFERENCIADA EM TERRITÓRIOS QUILOMBOLAS NA PARAÍBA. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 378–399, 2023. DOI: 10.12957/riae.2023.72000. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/72000. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - 20 ANOS DA LEI 10.639: CONVERSAS CURRICULARES ENTRE SABERES, PRÁTICAS E POLÍTICAS ANTIRRACISTAS