Memórias de Marta de Julia Lopes de Almeida: uma narradora burguesa num contexto de exclusão social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2021.63439

Palavras-chave:

protagonismo feminino, interseccionalidade, história das mulheres, formação educacional

Resumo

O presente artigo tem como principal interesse apresentar o romance Memórias de Marta de Julia Lopes de Almeida, editado como livro pela primeira vez em 1899. Trata-se de um romance narrado por uma mulher em primeira pessoa, ambientado num típico cortiço, moradia popular dos finais do século XIX na cidade do rio de janeiro, Brasil. Junto a leitura, foram feitas análises da construção dos enunciados que deram origem ao romance, com base na análise do discurso em Bakhtin, vasculhando as entrelinhas interpretativas com auxílio do paradigma indiciário de Ginzburg, busca-se encontrar pistas que nos mostrem na perspectiva do protagonismo feminino as questões de gênero, raça, classe e formação educacional. A pesquisa objetiva colaborar para a história das mulheres e seus possíveis desdobramentos.

Referências

ALMEIDA, Cláudio Lopes de. D. Julia, abril/2018. [arquivo pessoal]. Rio de Janeiro, 2018.CD-ROM.

ALMEIDA, Julia Lopes de. A falência. São Paulo: Pinguim e Companhia das letras, 2019.

______. A Dramaturgia inédita de Júlia Lopes de Almeida. Disponível em: <http://www.brasa.org/wordpress/Documents/BRASA_XI/Michele-Fanini.pdf - >. Acesso em: 3 maio 2018.

______. A viúva Simões. [Domínio Público]. (s.d). Em:

______. Era uma vez. Rio de Janeiro: J. Ribeiro dos Santos, 1917. Disponível em: <https://digital.bbm.usp.br/bitstream/bbm/983/1/45000008117_Output.o.pdf>.

______. Memórias de Marta. São Paulo: Editora Casa Durski, de Sorocaba. 1899.

______. O Livro das donas e donzelas. Rio de Janeiro: Vermelho marinho, 2019.

______ O livro das noivas. Rio de Janeiro: Castorino Mendes, 1929.

______A falência. São Paulo: Pinguim e Companhia das letras, 2019.

ALÓS, Anselmo Peres, Estudos Feministas, Florianópolis, 16(2): 691-713, maio-agosto/2008.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: WMF Martins Fontes- 2010.

BRANDÃO, Helena H. Nagamine. Introdução à análise do discurso. Campinas, S.P.: Editora da UNICAMP, 2004.

BRANDÃO, Silmária Souza. Linhas partidas: viuvez, gênero e geração em salvador (1850-1920), Artigo do repositório da Universidade federal de Salvador, 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/18539/1/Tese%20- 20Silmaria%20Souza%20Brand%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 29 abr. 2021.

CUNHA, Helena P. Mulher no Espelho. Santa Catarina: Mulheres, 2013

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

DE LUCA, Leonora. Amazonas do pensamento: a gênese de uma intelectualidade feminina no Brasil. Campinas, 2004. Tese de doutorado. Unicamp/IFCH.

DEL PRIORI, Mary. História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997

.

FANINI, Michele A. Júlia Lopes de Almeida: entre o salão literário e a antessala da Academia Brasileira de Letras (pp.317-338). Revista Estudos de Sociologia. Araraquara, 2009. Disponível em: <https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/1941>. Acesso em: 26 jun. 2020.

FARIA FILHO, Luciano M.; LOPES, Elaine M.T.; VEIGA, Cynthia G. 500 anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

FERREIRA, Ivanir. Escritora mais publicada da Primeira República foi vetada na ABL. Disponível em: <https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-humanas/escritora-mais-publicada-da-primeira-republica-foi-vetada-na-abl/>. Acesso em: 3 maio 2018.

FREITAS, Marcos C., BICCAS, Maurilene de S. História social da educação no Brasil: (1926-1996). São Paulo: Cortez, 2009.

GINZBURG, Carlo. A Micro–história e outros ensaios. Lisboa: Difel, 1989.

GONDRA, José Gonçalves e SCHUELER, Alessandra. Educação, poder e sociedade no império brasileiro. São Paulo: Cortêz, 2008.

GONZALES – Por um feminismo Afro Latino Americano. Org: RIOS, Flavia, LIMA, Márcia. São Paulo: Zahar, 2020.

GOUVEA, Maria Cristina Soares de A escolarização da criança brasileira no século XIX: apontamentos para uma re-escrita. Natal: Revista educação em questão. V28, n14, p. 121/126- 2007. Disponível em: // C:/Users/Euridice/Downloads/4467-Texto%20do%20artigo-10500-1-10-20131026.pdf>.

GRANGEIA, Fabiana de Araújo Guerra. Oscar Guanabarino e a crítica de arte periódica no Brasil. 2005. Disponível em: <https://www.unicamp.br/chaa/rhaa/atas/atas-IEHA-v1-215-222-fabiana%20de%20araujo%20guerra%20grangeia.pdf>. Acesso em: 24 jun. 2020.

HABNER, June E. Honra e distinção das famílias. In Nova história das mulheres no Brasil. Org: PINSKY, Carla Bassanezy e PEDRO, Jana Maria. São Paulo: Contexto, 2016.

HABNER, June E. Mulheres da Elite: honra e distinção das famílias. (pp 43-64) In: PINSK, Carla B.; PEDRO, Joana M. Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2016.

JOURDAN, Camila Alves; VIRGOLINO, Mariana Figueiredo; SILVA, Talita Nunes. Odisseu e Penélope: exemplos de masculino e feminino a serem seguidos na Grécia Arcaica e Clássica. In: LIMA, Alexandre Carneiro Cerqueira. Imagem, Gênero e Espaço: representações da antiguidade: Niterói: Alternativa, 2014.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 2018.

MONTELEONE, Joana de Moraes . Costureiras, mucamas, lavadeiras e vendedoras: O trabalho feminino no século XIX e o cuidado com as roupas (Rio de Janeiro, 1850-1920). Rev. Estud. Fem. vol.27 no.1 Florianópolis 2019 Epub Feb 21, 2019.

SALES, Eliana. Aspectos da história do álcool e do alcoolismo no século XIX. Pernambuco: Revista Caderno de História da UFPE, ano VII, nº 7, p. 167/203, 2010. Disponível em: < https://periodicos.ufpe.br/revistas/cadernosdehistoriaufpe/article/viewFile/110065/21988 >.

Acesso em: 4 set. 2021.

SALOMONI, Rosane Saint-Denis. A escritora/os críticos/a escritura: o lugar de Júlia Lopes de Almeida na ficção brasileira. Porto Alegre: UFRGS, 2005. Disponível em: < https://lume.ufrgs.br/handle/10183/81773>. Acesso em: 28 out. 2019.

SCHUELER, Alessandra, Crianças e escolas na passagem do Império para a República. São Paulo: Rev. bras. Hist. vol.19 n.37 São Paulo Sept. 1999.

SCOTT, Ana Silva. O caleidoscópio dos arranjos familiares, p. 15/42. Org: PINSK, Carla Basanezi e PEDRO, Joana Maria. Nova História da Mulheres no Brasil, São Paulo, Contexto, 2016.

SEPULVEDA, Denize; SEPULVEDA, José Antônio. Conservadorismo, Gêneros e Sexualidades: temáticas que se entrelaçam nas pesquisas do GESDI e do GEPCEB. In: SEPULVEDA, Denize; AMARO, Ivan. Gêneros, Sexualidades e Educação na Ordem do Dia. Curitiba: CRV, 2018.

SEPULVEDA, José Antônio.; SEPULVEDA, Denize. Conservadorismo e Educação Escolar: um exemplo de exclusão. Niterói: Movimento, 2016. Disponível em: <http://www.revistamovimento.uff.br/index.php/revistamovimento/article/view/319/318>. Acesso em: 25 maio 2018.

UEKANE, Marina Natsume, Mulheres na sala de aula”: um estudo acerca do processo de feminização do magistério primário na corte imperial (1854-1888). Niterói: Revista Gênero, v. 11, n. 1, p. 35-64, Dossiê Vozes, Memòrias e Caminhos Percorridos: no Masculino e no Feminino. Em: https://periodicos.uff.br/revistagenero/article/view/30933 - Acesso em 04/09/2021.

Downloads

Publicado

17-11-2021

Como Citar

PESSOA, Eurídice Hespanhol Macedo. Memórias de Marta de Julia Lopes de Almeida: uma narradora burguesa num contexto de exclusão social. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 930–949, 2021. DOI: 10.12957/riae.2021.63439. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/63439. Acesso em: 20 abr. 2024.