O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA NO CURSO DE DOUTORADO EM EDUCAÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA NO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2023.71105

Palavras-chave:

Estágio de Docência, Formação, Metodologias Ativas.

Resumo

O processo formativo de educadores se faz extremamente necessário e contínuo. Ministrar aulas e formar sujeitos, requer um amplo e capacitado repertório e conhecimento  sobre o assunto que será abordado, pautado em um compromisso profissional com a sociedade. O objetivo principal deste trabalho, é relatar e refletir sobre a importância do estágio de docência no processo formativo do curso de Doutorado em Educação. A metodologia empregada foi a revisão bibliográfica, com base nos estudos dos autores Freire (2014), Nóvoa (1985), Dewey (1976), Lévy (1999) e Anderson (2012), além da intervenção-ação da pesquisadora e doutoranda no campo de atuação. Ao final do estágio de docência, observa-se que a atualização profissional e o uso de metodologias ativas, tornam-se cada vez mais necessárias e emergentes na sociedade do século XXI. 


Biografia do Autor

Angélica Dalla Rizzarda, Universidade de Passo Fundo

Graduada em História Licenciatura pela Universidade Paranaense- UNIPAR (2016). Pós-graduada em Educação do Campo e Metodologia do Ensino de História e Geografia pela Faculdade São Braz (2018). Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Uninter (2018). Mestre em História pela Universidade de Passo Fundo- RS (2019). Pós-graduada em Gestão: Liderança Educacional e Desenvolvimento de Equipes pela Faculdade Censupeg- RS (2022). Doutoranda em Educação, com ênfase em Linguagens e Tecnologias pelo PPGEdu- Universidade de Passo Fundo (2021-2025). Suas pesquisas e publicações envolvem temas como: História do Brasil, Colonização e povoamento, Educação, Disrupção e Inovação, Metodologias Ativas, atuação do professor em Espaços Disruptivos no ambiente escolar. É membro do Grupo de Pesquisa e Estudo em Cultura Digital- GEPID e do Grupo de Pesquisa em Educação Científica e Tecnológica - GruPECT. Professora e Pesquisadora.

Sabrina Battisti, Universidade de Passo Fundo

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação - Universidade de Passo Fundo (UPF). Membro do Grupo de Pesquisa Educação Científica e Tecnológica (GruPECT). Contato: sabri_battisti@hotmail.com. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-6053-646X.

Adriano Canabarro Teixeira, Universidade de Passo Fundo

Professor titular da Universidade de Passo Fundo nos programas de Pós-Graduação em Educação e Ensino de Ciências e Matemática. Contato: teixeira@upf.br. Orcid: http://orcid.org/0000-0002-7941-3515.  


Referências

ANDERSON, Chris. Makers: a nova Revolução Industrial. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

BACICH, Lilian; MORAN, José (Orgs.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso Editora, 2018.

BOMBANA, Cheila Graciela Gobbo; TEIXEIRA, Adriano Canabarro. As Metodologias Ativas como potencializadoras do Sistema Atencional: do presencial ao remoto usando Design Thinking. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 22, n. 65, abr./jun. 2021. DOI: 10.12957/teias.%Y.55758. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/55758. Acesso em set. 2022.

BURIOLLA, Marta A. Feiten. O estágio supervisionado. São Paulo: Cortez, 1999.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

DEWEY, J. Experiência e Educação. 2ª. ed. São Paulo: editora Nacional, 1976.

FAVERO, Altair Alberto et al. Docência Universitária: pressupostos teóricos e perspectivas didáticas. In: COPATTI, C; MOREIRA, D. A formação estética para a construção do sensível na docência universitária. Campinas: São Paulo: Mercado de Letras, 2015.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. São Paulo: Paz e Terra, 2021.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2015.

Lemos, André; Cunha, Paulo (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Sulina, Porto Alegre, 2003.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 2010.

MARIANO, Maria Luzia Silva; FRANCO, Sandra Aparecida Pires; OLIVEIRA, Katya Luciane de. Estágio em docência no curso de doutorado em educação: relatos de experiência. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 1, p. 361–375, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i1.12785. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12785. Acesso em: 16 ago. 2022.

NÓVOA, Antonio et al. Profissão Professor. Portugal: Porto ed., 1995.

RESNICK, Mitchel. Jardim de infância para a vida toda: por uma aprendizagem criativa, mão na massa e relevante para todos. Porto Alegre: Penso, 2020.

TEODORO, Antônio; VASCONCELOS, Maria Lucia. Ensinar e aprender no ensino superior: por uma epistemologia da curiosidade na formação universitária. In: SOUSA, Ó. de C. Aprender e ensinar: significados e mediações. 2ª ed. São Paulo: Editora Mackenzie, 2005.

TOFLER, Alvin. A terceira onda. Rio de Janeiro: ed. Record, 1980.

Downloads

Publicado

2024-04-19

Como Citar

RIZZARDA, Angélica Dalla; BATTISTI, Sabrina; TEIXEIRA, Adriano Canabarro. O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA NO CURSO DE DOUTORADO EM EDUCAÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA NO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 01–14, 2024. DOI: 10.12957/redoc.2023.71105. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/71105. Acesso em: 24 jul. 2024.