COMUNICAÇÃO VIRTUAL E ENSINO: DIÁLOGOS E EXPERIÊNCIAS DOCENTES NO CONTEXTO EDUCACIONAL REMOTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2022.66560

Palavras-chave:

Comunicação virtual. Ensino Remoto. Experiências pedagógicas. Docentes.

Resumo

Este artigo apresenta as experiências de professores no Ensino Remoto Emergencial (ERE), em meio ao cenário pandêmico, por causa da Covid-19. O objetivo do estudo é analisar as vivências dos docentes nos anos de 2020 e 2021 na comunicação virtual com finalidade pedagógica no contexto educacional remoto na rede municipal de ensino no Fundamental I em Macapá/AP e Palmas/TO. A metodologia pauta-se no esboço teórico em torno dos conceitos comunicação/comunicação virtual, da pesquisa bibliográfica sobre ensino remoto emergencial, e das fontes escritas e orais – normativas e entrevista com os docentes. Os resultados apontam, ainda que novas tecnologias digitais emergentes na contemporaneidade, em tempos que deflagram uma sociedade em rede, os docentes se viram tendo que adaptar pedagogicamente à comunicação virtual, que já tinham as funções de mediação, sociabilidade e interação à distância, contudo, pouca funcionalidade na rede básica de ensino até a implementação do ERE. As vivências mostram a importância da comunicação virtual, como meio interativo e participativo nesse momento, contudo a ausência de recursos como as tecnologias digitais, tornaram o processo de ensino-aprendizagem difícil, mas não um obstáculo à suspensão das aulas. 

Biografia do Autor

Monise Vieira Busquets, Universidade Federal do Tocantins - UFT

É Educadora e Comunicadora Social, Doutora em Ciências do Ambiente e sua pesquisa versa sobre a violação dos direitos humanos sofridos por mulheres atingidas pela barragem de Belo Monte, Estado do Pará, Amazônia brasileira. Pesquisa ainda temas como cultura e meio ambiente, subalternidade, a luta pela dignidade humana empreendida por movimentos sociais, tendo como ponto focal de sua carreira acadêmica as formas de violência relegada aos corpos subalternos em territórios coloniais, mais precisamente na Amazônia. Compõe a Rede de Barragens Amazônicas (RBA), grupo de trabalho conjunto entre a Universidade Federal do Tocantins, Universidade Federal de Rondônia e a Universidade da Flórida - USA. Atua ainda como Produtora Cultural, dentre suas produções, dirigiu o documentário Da Luz da Vida à Água que Morre ganhador do Prêmio Cacá Diegues de incentivo à cultura do Estado do Tocantins em 2012, a série documental Barragens Hidrelétricas e Povos Indígenas (2017) com o financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e documentário produzido na Universidade Norte do Arizona - Estados Unidos, financiado pela National Science Foundation - NSF: Exploring the Colorado River Glen Canyon Dam Adaptive Management Program, (2017). Leciona disciplinas como: Sociologia; Antropologia; Direitos Humanos; História das Populações Amazônicas; Território e História Ambiental da Amazônia, Estado, Sociedade e Questões Agrárias; História da Arte; Introdução à Sociologia; Sociologia da Educação; História, Identidade e Memória dos povos do Campo; Percepção Visual; Movimentos Sociais; Estética; Fotografia; Educação e Meio Ambiente.

Rafaele Costa, Universidade Federal do Amapá

Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em História pela Universidade Federal do Amapá (2010) e Mestrado Integrado em Desenvolvimento Regional pela Universidade Federal do Amapá (2013). Realiza pesquisa sobre trabalhadores rurais da Amazônia no século XIX e XX, com ênfase nos seguintes temas: conflitos rurais, agroextrativismo, territorialidade e sustentabilidade, e História do Amapá no período territorial.

Clériston Cordova, Fundação Universitária Iberoamericana.

Mestrado em Comunicação pela Fundação Universitária Iberoamericana. Especialização em Comunicação e Semiótica pelo Instituto Paranaense de Ensino. Graduação em Comunicação Social - Jornalismo pela Faculdade Maringá. 

Weudes Pereira, Rede Municipal de Palmas - TO

Especialista em Educação Online e Recursos Digitais Interativos e Colaborativos pela UFT (2022). Especialista em Metodologias Ativas e Educação Híbrida, UniAmérica (2022). Bacharel e Licenciado em História pela Fundação Municipal de Ensino Superior de Colinas - FECOLINAS (2010). Professor Efetivo da Rede Municipal de Palmas - TO desde (2012). No período de 2016 à 2019 atuou como gestor escolar e desde 2019 ocupa a função de Diretor do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Palmas - TO. Tem atuado no conselho responsável pelo acompanhamento dos indicadores, pelo cumprimento das metas dos objetivos, e pelo acompanhamento da execução do orçamento no âmbito desta Secretaria de Educação desde 2020 até os dias atuais. Membro da Comissão Interdisciplinar Permanente para Análise de livros didáticos, paradidáticos, obras literárias, jogos, materiais manipuláveis, recursos pedagógicos digitais, materiais esportivos e os acervos pedagógicos no âmbito da Rede Municipal de Ensino de Palmas-TO. Atuou como membro da Comissão Especial instituída para planejar ações educacionais na Rede Municipal de Ensino de Palmas no período pandêmico de (COVID-19).

Referências

ARRUDA, Eucidio Pimenta. Educação remota emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. Em Rede: Revista de Educação a Distância. v. 7, n. 1, 2020, p. 257-275. Disponível em: <https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/621/575> Acesso em: 13 de Jan. 2021.

BARROS, Maria das Graças; CARVALHO, Ana Beatriz Gomes. As concepções de interatividade nos ambientes virtuais de Aprendizagem. In. SOUSA, RP., MIOTA, FMCSC., and CARVALHO, ABG., orgs. Tecnologias digitais na educação. Campina Grande: EDUEPB, 2011, pp 209-232 . ISBN 978-85-7879-065-3.

BEHAR, Patrícia. A. O Ensino Remoto Emergencial e a Educação a Distância. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, 06 de jul. de 2020. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/coronavirus/base/artigo-o-ensino-remoto-emergencial-e-a-educacao-a-distancia/>. Acesso em: 13 de Jan. de 2022.

BRASIL ESCOLA, 2022. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/redacao/elementos-presentes-no-ato-comunicacao.htm Acesso em: 12 de Jan. 2022.

BRASIL, RESOLUÇÃO CNE_CP Nº 2, DE 5 DE AGOSTO DE 2021 - RESOLUÇÃO CNE_CP Nº 2, DE 5 DE AGOSTO DE 2021 - DOU - Imprensa Nacional. Disponível em: <https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-cne/cp-n-2-de-5-de-agosto-de-2021-336647801>. Acesso em: 12 de Jan. 2022.

BRASIL, PARECER N. 05/2020. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 12 de Jan. 2022.

BRASIL. PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 5, DE 4 DE AGOSTO DE 2021. Reconhece a importância nacional do retorno à presencialidade das atividades de ensino e aprendizagem. Disponível em: <https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-interministerial-n-5-de-4-de-agosto-de-2021336337628#:~:text=2%C2%BA%2C%20%C2%A7%209%C2%BA%2C%20Lei%20n%C2%BA,Art.> Acesso em: 13 de Jan. 2022.

CARVALHO, et al. O ensino remoto é sinônimo de ead? Proximidades e diferenças entre as duas experiências. In. Ensino remoto emergencial: experiência de docentes na pandemia. [livro eletrônico] MOURAD, Leonice Aparecida de Fátima Alves Pereira; CUNHA, Fernando Icaro Jorge; JORGE, Welington Junior. Maringá/PR: Uniedusul, 2021.

CASTELLS, Manuel. Sociedade em rede: a era da informação; economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CIPRIANI, Flávia Marcele; MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CARIUS, Ana Carolina. Atuação Docente na Educação Básica em Tempo de Pandemia. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 46, n. 2, e105199, 2021. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/edreal/a/tqLcF8PZfsBxsyF3ZKpyM9N/?format=pdf&lang=pt> Acesso em: 13 de Jan. 2021.

COELHO, Cláudio Novaes Pinto. A comunicação virtual segundo Lévy e Braudrillard: uma visão crítica. Communicare – Vol. 2, E. 1. 2002, pp-117-126. Disponível em < https://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/07/A-comunica%C3%A7%C3%A3o-virtual-Segundo-L%C3%A9vy-e-Baudrillard.pdf > Acesso em: 14 de Jan. 2021.

COELHO, Teixeira. O que é indústria cultural. São Paulo: Brasiliense, 1980.

HEPP, Andreas; HASEBRINK, Uwe. Interação humana e configurações comunicativas: transformações culturais e sociedades midiatizadas. Parágrafo, São Paulo, v. 2, n. 3, p. 75-89, jul./dez. 2015. Disponível em: <http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/333/341> Acesso em: 14 de Jan. 2021.

LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. – 4. ed. – Brasília, DF : Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2020. Disponível em: <https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/572694/Lei_diretrizes_bases_4ed.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 12 de Jan. 2022.

LÉVY, Pierre. O que é virtual? São Paulo: editora 34, 1996.

LÉVY, Pierre. Entrevista: Árvores de Saúde: uma conversa com Pierre Lévy. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Vol 3, N.4,1999a. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/icse/a/YPnb5sGjDV8zyCqnwdX4tnG/?format=pdf&lang=pt> Acesso em: 13 de Jan. de 2021.

LÉVY, Pierre (1999b). Cibercultura. Editora 34 Ltda.: São Paulo: 1999b.

LEVY, Pierre. A Inteligência Coletiva – Por uma Antropologia do Ciberespaço, Loyola, 3. ed. São Paulo: 2000.

GUARESCHI, Pedrinho Arcides. Comunicação e controle social. Petrópolis: Vozes, 2000.

MARTINO, Luiz Cláudio. De qual comunicação estamos falando? In: HOHLFELDT,

Antônio et al (orgs.). Teorias da Comunicação: conceitos, escolas e tendências.

Petrópolis: Vozes, 2001.

MORAN, José. Metodologias ativas e modelos híbridos na educação. In: YAEGASHI, S. etc al (Orgs). Novas tecnologias digitais: reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2017, p.23-35. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/moran/wpcontent/uploads/2018/03/Metodologias_Ativas.pdf> Acesso em: 14 de Jan. 2021.

MORAN, José; BACICH, Lilian. Aprender e ensinar com foco na educação híbrida. In: Congresso sobre tecnologias na educação. Mamanguape, PB. Anais [...]. Mamanguape, PB: UFPB, 2017. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2015/07/hibrida.pdf >Acesso em: 14 de Jan. 2021.

MOREIRA, José António Marques; HENRIQUES, Susana; BARROS, Daniela. Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. Dialogia, São Paulo, n. 34, p. 351-364, Jan./abr. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.5585/Dialogia.N34.17123. Acesso em: 14 de Jan. 2021.

OEMESC. A educação em tempos de pandemia: soluções emergenciais pelo mundo. Disponível em: <https://www.udesc.br/arquivos/udesc/id_cpmenu/7432/EDITORIAL_DE_ABRIL___Let_cia_Vieira_e_Maike_Ricci_final_15882101662453_7432.pdf Abr. 2020 > Acesso em: 14 de Jan. 2021.

PERLES, João Batista. Comunicação: conceitos, fundamentos e história. www.bocc.ubi.pt. On-line de Ciências da Comunicação, 2007. Disponível em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/perles-joao-comunicacao-conceitos-fundamentos-historia.pdf> Acesso em: 13 de Jan. 2021.

SANTOS, Edméia. Educação online para além da EaD: um fenômeno da cibercultura. Congresso internacional galego-português de psicopedagogia, 10., 2009, Braga, PO. Anais [...]. Braga, PO: Universidade do Minho, 2009. Disponível em: <https://www.educacion.udc.es/grupos/gipdae/documentos/congreso/xcongreso/pdfs/t12/t12c427.pdf> Acesso em: 15 de Jan. 2021.

SANTOS, Miguel Carlos Damasco dos. Importância da comunicação na EaD virtual: enfoque conceitual e dialógico. Resende-RJ, 05/2011. Disponível em: <http://www.abed.org.br/congresso2011/cd/67.pdf > Acesso em: 13 de Jan. 2021.

Downloads

Publicado

2022-10-06

Como Citar

BUSQUETS, Monise Vieira; COSTA, Rafaele; CORDOVA, Clériston; PEREIRA, Weudes. COMUNICAÇÃO VIRTUAL E ENSINO: DIÁLOGOS E EXPERIÊNCIAS DOCENTES NO CONTEXTO EDUCACIONAL REMOTO. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 6, n. 5, p. 128–153, 2022. DOI: 10.12957/redoc.2022.66560. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/66560. Acesso em: 21 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)