#PauloFreire100Anos - transformação social e cultura digital: Memórias freirianas nas ações da UNIFESP – UAB

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.62855

Palavras-chave:

centenário de Paulo Freire, memórias e diálogos, cultura digital e transformação social, práxis pedagógica

Resumo

“#Paulo Freire100Anos: transformação social e cultura digital” foi um evento científico internacional organizado por professores da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) no âmbito do Projeto FORMA de extensão e pesquisa, com apoio da Unifesp-UAB, para homenagear o centenário de Paulo Freire e provocar diálogos e reflexões sobre a epistemologia freiriana no contexto da cultura digital. Pesquisadores da América Latina, Europa e Brasil trouxeram suas pesquisas e práxis pedagógica para refletir de que modo o pensamento emancipador de Paulo Freire nos ajuda a entender as transformações tecnológicas e como a consolidação da cultura digital afetou a educação, principalmente no atual período pandêmico. As reflexões de Paulo Freire acerca das tecnologias na década de 1990, a inserção dos computadores nas escolas públicas no município de São Paulo - quando exerceu o cargo de secretário da educação - são fundamentais para a leitura crítica da cultura digital e seus efeitos na sociedade contemporânea. É imprescindível que Paulo Freire - como patrono da educação brasileira, referência nacional e internacional - contribua para os estudos sobre educação, justiça social e cultura digital em uma perspectiva crítica e emancipadora. Para celebrar os 100 anos de nascimento de Paulo Freire e em respeito à sua memória, docentes de vários campi da Unifesp organizaram, de março a setembro de 2021, uma série de ações, que abarcaram a produção de vídeos de narrativas de educadores, cursos on-line de extensão, diversas palestras proferidas e a organização de um livro que traz conceitos clássicos da filosofia da práxis, sob enfoque freiriano. A celebração culminou com o evento “#Paulo Freire100Anos: transformação social e cultura digital” ocorrido em setembro de 2021. O evento online proporcionou três dias de intensos diálogos entre pesquisadores e educadores que trazem em sua práxis a essência freiriana da esperança e da liberdade. Entendemos que as obras de Freire foram negligenciadas nos últimos anos pelas universidades, por políticas públicas que se afastaram das bases populares e por interpretações equivocadas que deturparam seus pensamentos e ações que refletem uma vida dedicada ao empoderamento da classe trabalhadora. Acreditamos que a universidade pública tem o compromisso de disseminar e trazer novas contribuições de suas teorias, para que as novas gerações conheçam, discutam e produzam novas práxis emancipadoras. O pensamento freiriano nos ensina e inspira a, por meio da educação e de mais amorosidade acadêmica, formar uma geração de cidadãos que tenham respeito à democracia, à liberdade e lutem pela justiça social e pela equidade em nosso país. Esse foi o intuito das memórias freirianas tecidas na Unifesp – UAB, no decurso de 2021.

Biografia do Autor

Lucila Maria Pesce, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Doutora (2003) e mestre (1999) em Educação: Currículo, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), com pós-doutorado (2007) em Filosofia e História da Educação, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); bacharel e licenciada em Letras - Português e Inglês (1985), pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM). Professora Associada do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); professora credenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIFESP. Líder do Grupo de Pesquisa LEC: Linguagem, Educação e Cibercultura. Vice-coordenadoraConsultora ad hoc do GT 16 (Educação e Comunicação) da ANPED - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação de 2007 a 2017. Vice-coordenadora do GT 16 da ANPEd: out. 2017 - out. 2019 e out. 2019 - out. 2021. Membro das seguintes redes internacionais de pesquisa: REPEM (Rede de Pesquisas em Educação e Mídia, Unirio), COLEARN (Collaborative Open Learning, The Open University). Tem investigado nas seguintes áreas: Linguagens Hipermidiáticas e Processos Formativos; Linguagens Hipermidiáticas e Educação Básica; Linguagens Hipermidiáticas e Formação Inicial de Professores; Linguagens Hipermidiáticas e Formação Continuada de Professores. site: http://sites.google.com/site/lucilapesce/ 

Claudia Coelho Hardagh, Universidade Federal de são Paulo

Professora e pesquisadora visitante da Universidade Federal de São Paulo, Historiadora, Socióloga e Pedagoga. Pós-doutora pela Universidade de Coimbra - Centro de Estudos Sociais (CES) supervisão Prof. Dr. Boaventura de Souza Santos. Doutora pela PUC-SP, em Formação de professores para Tecnologia Digital para Educação no programa Educação Currículo - Orientadora Prof. Maria Elizabeth B. Almeida. Investigadora Integrada no Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20). Atua em temas como: Formação de Professores, tutores e Cultura Digital e Diversidade. Pesquisa sobre Tecnologia Sociais, Cultura Digital e Diversidade Cultural. Coordena o grupo de pesquisa internacional Convergência: Escola expandida, linguagens híbridas e diversidade. Coordena o Projeto e programa de pesquisa FORMA voltado à formação de profissionais de educação aberta e virtual. Militante da Rede e Universidade Emancipa.

Luciano Gamez, UNIFESP

Luciano Gamez é professor adjunto na Universidade Federal de São Paulo, onde leciona as disciplinas de Ensino e Aprendizagem, e Ergonomia de Interação Humano-Computador, no Curso Superior de Tecnologia em Design Educacional da Unifesp. É graduado em Psicologia pela Universidade de Lisboa (1992). É mestre em Engenharia Humana pela Universidade do Minho (1998). É doutor em Ergonomia Cognitiva pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004), tendo realizado estágio doutoral na École Polytechinique de Montréal, apoiado pelo CNPq, da qual foi bolsista (2002-2003). Concluiu o pós-doutorado em Ciências da Educação na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (2020) e o Pós-doutorado em Educação a Distância e E-learning, na Universidade Aberta em Portugal (2020). Possui sólida experiência em Educação a Distância (Planejamento, gestão e implementação de projetos educacionais, docência em teorias e metodologias da EaD, produção de material didático, aprendizagem mediada por tecnologias), e no ensino de Psicologia (docente das disciplinas de Psicologia da Educação, Psicologia do Desenvolvimento, Avaliação Diagnóstica, Psicologia da Aprendizagem). Como pesquisador está interessado nos fenômenos da aprendizagem, no estudo de teorias pedagógicas e modelos educacionais que integrem (ou não) o uso de tecnologias digitais, ou analógicas, à Educação, bem como os contextos da aprendizagem colaborativa, aberta e em rede. Atualmente exerce o cargo de coordenador adjunto da Universidade Aberta do Brasil na Unifesp.

Valéria Sperduti Lima, UNIFESP

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar (1992), mestre em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (1997) e doutora em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/ SP (2002). Tem experiência prática em design educacional de projetos e cursos na modalidade a distância, nos setores de educação formal, informal, educação aberta e educação corporativa. A partir do ano 2000, tem atuado com coordenação e desenvolvimento de projetos e cursos de formação de professores nas áreas de educação e tecnologias e educação a distância. No período de 2006 à 2011 foi professora adjunta na Universidade Federal de São Carlos - UFSCar quando desenvolveu atividades de ensino e pesquisa em cursos de graduação na modalidade a distância, coordenação pedagógica de cursos de graduação e de especialização na modalidade a distância, e foi coordenadora de desenvolvimento de profissionais na UAB UFSCar. Em 2011, assumiu o cargo docente na Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, e atua em cursos de graduação, especialização e aperfeiçoamento na modalidade de educação a distância e na área de educação e tecnologia. Foi coordenadora de Desenvolvimento Docente da ProGrad UNIFESP no período de 2014 a 2019 e coordenadora geral da UAB UNIFESP no período de novembro de 2018 até o momento.

Sylvia Helena S da Silva Batista, UNIFESP

Sou Professora com Graduação em Bacharelado em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (1985), graduação em Formação de Psicólogo pela Universidade Federal do Pará (1986), graduação em Licenciatura Plena Em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (1986), mestrado e doutorado em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1993, 1997). Livre Docente em Ensino em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (2018) e Pós-Doutorado no Kings College London - Florence Nightingale Faculty of Nursing,Midwifery and Palliative Care (em andamento) Atuo na área de Educação na Saúde, destacando-se os temas de formação docente para o ensino superior em saúde, formação em saúde e educação interprofissional. Nestes âmbitos realizo minhas atividades acadêmicas (ensino, pesquisa, extensão) e dirigido minhas publicações (artigos científicos, livros) e produção técnica (produtos educacionais). Estou como PQ 1C (CNPq).

Rosângela Aparecida Dantas de Oliveira, UNIFESP

Rosângela A. Dantas de Oliveira é professora de Espanhol do curso de Letras da Unifesp - campus Guarulhos. É bacharel e licenciada em Letras Português/Espanhol pela Universidade de São Paulo. É mestre em Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, e doutora em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-americana pela Universidade de São Paulo. Possui experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas, atuando no ensino-aprendizagem de língua espanhola. É também tradutora, com várias traduções publicadas. Foi professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo entre 1998 e 2006 e do Colégio Bandeirantes entre 2002 e 2012. Suas áreas de interesse como pesquisadora incluem análise do discurso em análises comparativas, quadrinhos, formação de professores, o uso de tecnologias no ensino de línguas e a extensão universitária.

Mariângela Graciano, UNIFESP

Mariângela Graciano é professora adjunta do Departamento de Educação da UNFESP, tem como foco de pesquisa a educação de pessoas jovens e adultas privadas de liberdade. Leciona as unidades curriculares “Educação de Jovens e Adultos: diversidade e práticas educativas”, “Educação escolar de pessoas privadas de liberdade” e “Movimentos sociais e Educação de Jovens e Adultos”. No campo da extensão, coordena o Observatório dos Direitos Educativos da População Carcerária e o projeto Remição Penal pela Leitura: dos direitos educativos ao acesso à justiça. Integra o Grupo de Pesquisas e Estudos Freireanos e participa da diretoria da ONG Ação Educativa. É mestre e doutora pela Faculdade de Educação da USP, tendo pesquisado, respectivamente, a educação de mulheres encarceradas e as práticas educativas desenvolvidas pela sociedade civil no sistema prisional.

Referências

Nada a declarar.

Downloads

Publicado

2021-10-13

Como Citar

PESCE, Lucila Maria; HARDAGH, Claudia Coelho; GAMEZ, Luciano; LIMA, Valéria Sperduti; BATISTA, Sylvia Helena S da Silva; DANTAS DE OLIVEIRA, Rosângela Aparecida; GRACIANO, Mariângela. #PauloFreire100Anos - transformação social e cultura digital: Memórias freirianas nas ações da UNIFESP – UAB. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 27–30, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.62855. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/62855. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Produções Artísticas, Literárias e Culturais