Como a comunicação ensina: a experiência do Observatório Qualidade de Vida no Trabalho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.60139

Palavras-chave:

Educação e Comunicação. Observatório QVT. Conteúdo em Redes.

Resumo

O objetivo deste estudo é apresentar uma perspectiva do conceito de comunicação como ato educativo, a partir da experiência do Observatório Qualidade de Vida no Trabalho (QVT). Para tanto, questionamos: como a comunicação pode fazer parte do processo educativo com vistas à melhoria da QVT do cidadão, a partir da utilização de artefatos em redes (postits, tutorial, cards)? A metodologia utilizada traz uma perspectiva de imagens em Redes de Conexões, através do Observatório QVT, com a análise e inserção dos conteúdos nele disponibilizados. De modo geral, para os temas dos conteúdos se articularem entre si é discutida a problemática da eficácia e eficiência dos meios de comunicação e como desperta interesse no indivíduo. Os resultados apontam para uma discussão sobre os desafios da crise pandêmica causada pelo COVID-19 e para modelos político-econômicos com foco na mensagem educativa aos internautas visitantes do observatório.

Biografia do Autor

Luiz Carlos dos Santos Ferreira Sacramento, Curso de Sistema de Informações / UNEB (Graduando e pesquisador de Iniciação Científica no Projeto Observatório QVT)

Estudante de Sistemas de Informação da UNEB na área de programação que além de alimentar o Site do QVT e Rede Pub, também trabalhou ativamente na questão da interatividade do Instagram, como na criação de cards, animações, feeds e stories. Atualmente participa do LEACOMP, desenvolvendo praticas educativas envolvendo metodologias ágeis

José Antônio Carneiro Leão, Departamento de Ciências Humanas / Campus I / UNEB

Professor e pesquisador efetivo titular na Graduação e Pós-Graduação da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no Departamento de Ciências Humanas (DCH I) e no Programa de Mestrado Profissional em Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação (GESTEC/UNEB). Graduação de Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade de Pernambuco (1988) e mestrado em Gestão de Políticas Públicas pela Fundação Joaquim Nabuco (2005). Doutorado Sanduíche pelo Instituto de Pesquisas Tropicais de Lisboa/Portugal (2010). Doutorado em Educação pela UFBA (2011). Atua com os seguintes temas: Memória, Educação e diversidade cultural, Gestão e políticas públicas, QVT e linguagens geotecnológicas.

Referências

ARAÚJO, Carlos. Fundamentos da Ciência da Informação: Correntes Teóricas e o Conceito de Informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento. 2014; v. 4: 59

BACH, Maurizio. Carisma e Racionalismo na Sociologia de Max Weber. Universidade de Passau, Alemanha. 2011. Disponível em:

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2238- 38752011000100051&lng=pt&tlng=pt> Acesso em 19/04/2020

BARROS, Camila Monteiro de; CAFÉ, Lígia Maria Arruda. “Estudos da semiótica na Ciência da Informação: relatos de interdisciplinaridades”. In: Revista Perspectivas em Ciência da Informação, v.17, n.3, p.18-33, jul./set. 2012

BHABHA, Homi. O Local da Cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998. P. 326-352

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Educação? 26ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.

FERNANDES, José. Semiótica. CCHLA UFPB. 2002. Disponível em:

<http://www.cchla.ufpb.br/clv/images/docs/modulos/p8/p8_4.pdf> Acesso em 02/04/2020

FINGER, Igor; FORNO, Cristiano. “Qualidade de vida no trabalho: conceito, histórico e relevância para a gestão de pessoas”. In: Revista Brasileira de Qualidade de Vida. Ponta Grossa – PR – Brasil. v. 07, n. 02, abr./jun. 2015, p. 104.

GODOY, William. Argumento de autoridade. 2019. Disponível em: https://filosofianaescola.com/logica/argumento-de-autoridade/> Acesso em 20/04/2020

HODGES, Charles et al. The Difference Between Emergency Remote Teaching and Online Learning. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning#fn1. Acessado em 20 de março de 2020.

LATOUR, Bruno. Reagregando o Social. Bauru, SP: EDUSC/ Salvador, BA: EDUFBA, 2012a.

LATOUR, Bruno. “Redes que a razão desconhece: laboratórios, bibliotecas, coleções”. In: Parente. A. Tramas da Rede: Novas dimensões filosóficas estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2012b.

LEÃO, José Antonio Carneiro. “Corpografia da memória movimento: a experiência intuitiva de se perder e se achar em configuração de corpos híbridos”. In: François Soulages; Alberto Olivieri; Ricardo Biriba; Ariadne Moraes. (Org.). O Sensível Contemporâneo. 1ed. Salvador: Edufba, 2010

LÉVY, Pierre. CIBERCULTURA. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 3ª edição. São Paulo: Editora 34 Ltda, 2010, p. 46.

NEVES, Flávia. Gêneros literários: tipos e características. Disponível em:<https://www.normaculta.com.br/generos-literarios/> Acesso em 20/04/2020

PEREZ, Luana. Gêneros textuais. Disponível em:

<https://www.portugues.com.br/redacao/generos-textuais.html> Acesso em 20/04/2020

SALES, Kathia Marise Borges. Cognição em ambientes com mediação telemática: uma proposta metodológica para análise cognitiva e da difusão social do conhecimento. 2013, 241f. Tese (Doutorado Multidisciplinar e Multinstitucional em Difusão do Conhecimento) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

SANTAELLA, Lúcia. “Da cultura das mídias à cibercultura: o advento do pós-humano”. In: Revista FAMECOS. Porto Alegre, 2003, p. 24

SANTOS, Boaventura. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina, S.A, 2020. p. 22-28.

SEMIDAO, Rafael. Dados, informação e conhecimento enquanto elementos de compreensão do universo conceitual da ciência da informação: Contribuições teóricas. 2014. 103-108f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação) Escola de Veterinária, Universidade Estadual Paulista, Marília. Disponível em:

<https://www.marilia.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/CienciadaInformacao/ Dissertacoes/semidao_ram_me_mar.pdf> Acesso em 19/04/2020

Downloads

Publicado

2021-10-13

Como Citar

SACRAMENTO, Luiz Carlos dos Santos Ferreira; LEÃO, José Antônio Carneiro; CABRAL, Jadirlete Lopes. Como a comunicação ensina: a experiência do Observatório Qualidade de Vida no Trabalho. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 243–257, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.60139. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/60139. Acesso em: 18 jun. 2024.