Práxis na cibercultura: dialógica entre a pedagogia freiriana e as pedagogias feministas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.60085

Palavras-chave:

Cibercultura. Pedagogias Feministas. Dialogicidade. Experiência pedagógica. Educação on line. Paulo Freire/pedagogia da esperança

Resumo

Este estudo tem como objetivo abordar as interrelações entre a pedagogia freiriana e as pedagogias feministas no contexto da cibercultura e as potencialidades para a compreensão e promoção das práxis produzidas pelas pedagogias feministas em suas intervenções emancipatórias. De natureza investigativa, assume pesquisa bibliográfica e documental como procedimentos metodológicos, tomando a práxis na cibercultura com ênfase nas pedagogias apresentadas na docência online, sustentadas em posições político-epistemológicas comuns, que valorizam as curiosidades e produções socioculturais das mulheres e homens em seus vínculos socioafetivos e em seus compromissos políticos. Adotou-se, como corpus de análise o conjunto de narrativas, produções imagéticas, fotografias, que se constituíram como produção da experiência gestada coletivamente nos componentes curriculares Estágio Supervisionado II, da graduação em Letras e Pesquisa Aplicada à Educação II, na Pós-Graduação em Educação. Os resultados apontam evidências de aprendizagens, e indícios que de criação, a coautoria e cocriação, quando tanto os princípios epistemológicos e organizativos da metodologia, quanto do desenho didático propiciam aos estudantes e docentes, ambiência favorável e desafiadora, tais como: imersão em ambiências híbridas em que fomos instados a exercitar e experimentar juntos.  Apontaram ainda os alinhamentos e inflexões realizadas no processo, realizando escuta sensível coletivamente com os sujeitos envolvidos. Os saberes fazeres emergentes da experiência apontaram também que a pandemia suscitou em todos e todas nós educadores e educadoras, novas formas de encontro com os nossos estudantes, em que o acolhimento, a produção das subjetividades, o lugar de escuta se fizeram ainda mais imprescindíveis a uma humana docência mediada pelas tecnologias digitais.

Biografia do Autor

Joselito Manoel de Jesus, Universidade do Estado da Bahia, Uneb

Professor Assistente da Universidade do Estado da Bahia, Departamento de Ciências Humanas- DCH IV/Jacobina. Mestre em Educação e Contemporaneidade Uneb, pesquisador vinculado ao Grupo de Pesquisa Diversidade, Discursos, Formação na Educação Básica e Superior - Difeba/Uneb e do Grupo de Estudos de Informação Digital, Ensino e Aprendizagem- GEIDEA/ICI/UFBA. Doutorando em Ciência da Informação- UFBA.

Ana Lúcia Gomes da Silva, Universidade do Estado da Bahia, Uneb.

Pós-doutora em Educação pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora titular da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), campus IV, Jacobina.  Docente do Curso de Letras Vernáculas e do Programa de Pós-Graduação em Educação e Diversidade (PPED), UNEB, Jacobina. Líder do grupo de pesquisa Diversidade, Formação, Educação Básica e Discursos (Difeba) e pesquisadora vinculada ao grupo de pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade (Diverso), UNEB.

Zuleide Paiva da Silva, Universidade do Estado da Bahia, Uneb

Professora Adjunta da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), integrante do corpo permanente do Mestrado Profissional em Educação e Diversidade (MPED-UNEB). Possui formação interdisciplinar, com graduação em biblioteconomia (UFBA), doutorado em Difusão do Conhecimento (UFBA, IFBA, UNEB, UEFS, SENAI-CIMATEC, LNCC), mestrado em Estudos Interdisciplinares Sobre Mulheres, Gênero e Feminismo (UFBA). É pós-doutoranda em Educação (FACED-UFBA), vinculada ao grupo de pesquisa Formação, Experiência e Linguagens (FEL-CNPQ) e ao grupo de Pesquisa Formação em Exercício de Professores (FEP-CNPQ). É ativista da Liga Brasileira de Lésbicas e da Rede Lesbi Brasil.

Referências

AARTS, J. Intuition-based and observation-based grammars. In: AIJMER, K.; ALTENBERG, B. (org.). English Corpus Linguistics: Studies in honour of Jan Svartvik. Longman, Harlow, 1991.

ALVES, Nilda. Cultura e cotidiano escolar. Rev. Brasileira de Educação, n. 23, p. 62-74, 2003.

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho - o cotidiano das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa de; ALVES, Nilda (orgs.). Pesquisa no/do cotidiano das escolas - sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2008. p. 15-38.

ARROYO, Miguel. Ofício de mestre: imagens e autoimagens. 11 ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV (2002). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 9. ed., São Paulo, SP: Editora Annablume.

BRASIL, INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo Escolar, 2017. Brasília: MEC, 2017.

CARDOSO, Cláudia Pons, SILVA, Zuleide Paiva da. Pedagogias Feministas no combate ao Racismo e às desigualdades de Gênero: uma abordagem perspectivista. In: COSTA, Ana Alice Alcântara.; RODRIGUES, Alexnaldo Teixeira.; PASSOS, Elizete Silva. Gênero e Diversidades na gestão educacional. Salvador: UFBA/NEIM, 2011, p. 59-74.

CARVALHO, Maria Inez. O a-con-tecer de uma formação. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 29, p. 159-168, jan./jun. 2008.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (org). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

DELEUZE, Guattari. O Abecedário de Gilles Deleuze. Éditions Montparnasse, Paris. Traduzido e adaptado no Brasil. 1995. Disponível em: Abecedário de Gilles Deleuze (Transcrição + Vídeo Completo) (clinicand.com). Acesso em 03.maio 2021.

FRANCO, Maria Amélia do Rosario Santoro. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 26. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança. Um reencontro com a pedagogia do oprimido. 13. ed. Notas: Ana Maria A. Freire. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

FONTOURA; Helena Amaral da, MACHADO; Maikson Damasceno Fonseca, SOUSA, Nilcelio Sacramento de. Tematização como possiblidade de interpretação de dados nas pesquisas qualitativas: contribuições teóricas e metodológicas. In: SILVA; Ana Lúcia Gomes da; COSTA, Váldina Gonçalves da; PEREIRA; Diego Carlos. Ateliês de pesquisa: formação de professores(as)-pesquisadores(as) e métodos de pesquisa em educação. Salvador: EDUNEB, 2020. p.145-172.

FONTOURA; Helena Amaral da. Revisitando dados e refletindo sobre o uso de vídeo em etnografia. In: FONTOURA; Helena Amaral da; MATTOS; Carmem Lúcia Guimarães de (org). Etnografia e educação: relatos de pesquisa. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2009.p.31-46.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. In: SOUSA, Boaventura de Souza; MENESES, Maria Paula. (Orgs). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 455-491.

LARROSA; Jorge. Experiência e a alteridade em educação. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 19, n2, p.04-27, jul./dez. 2011.

MARAUX, Amélia. Caminhos Metodológicos da Pesquisa Aplicada em Educação. Salvador: EDUFBA, 2022. [prelo]

SCOTT, Joan W. A Invisibilidade da experiência. Trad. Lúcia Haddad. Proj. História. São Paulo, n. 16, fev. 1991.

SANTOS, Edméa. Pesquisa-formação na cibercultura. Teresina, PI: EDFPI, 2019. Ebook.

SILVA, Marco. Educar na cibercultura: desafios à formação de professores para docência em

cursos online. In: Revista Digital de Tecnologias Cognitivas. n 3; janeiro-junho, 2010, p. 36-52.Issn- 1984-3585. Programa de Pós- Graduação em Tecnologias da Inteligência Design Digital. PUC-São Paulo.

SILVA, Ana Lúcia Gomes da; VIEIRA, Luzineide. Cartografias dos espaços (in)formais de Jacobina: um estudo em/sobre deslocamentos em movimentos do estágio supervisionado. In: DASILVA, Fabrício Oliveira; MOTA, Charles Maycon de Almeida. Coletânea Profissão Docente na Educação Básica: formação de professores/as na educação básica [recurso eletrônico] 1ed.Curitiba: Brazil Publishing, 2021. v.3, p.319-336.

VÁZQUEZ, Adolfo Sanchéz. Filosofia da práxis – 1. ed. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – CLACSO; São Paulo: Expressão Popular, Brasil, 2007.

Downloads

Publicado

2021-10-13

Como Citar

DE JESUS, Joselito Manoel; DA SILVA, Ana Lúcia Gomes; DA SILVA, Zuleide Paiva. Práxis na cibercultura: dialógica entre a pedagogia freiriana e as pedagogias feministas. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 53–83, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.60085. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/60085. Acesso em: 18 jun. 2024.