“Não sei se você entende, as coisas estão ai e a gente não consegue ver, não é não consegue ver, não consegue é entender”

Autores

  • Gregorio Galvão de Albuquerque Programa de Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH/UERJ) e Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.57267

Palavras-chave:

Imagem, Interpretação, Propaganda, Pintura

Resumo

O presente texto tem como objetivo apresentar a problemática da padronização da produção e dos modos de ver as imagens na sociedade contemporânea. Como forma de demonstração dessa padronização será apresentado resultados da aplicação, em sala de aula, da “dinâmica da imagem contemporânea”, com imagens divididas entre propagandas e pinturas. Os resultados obtidos com a aplicação da dinâmica são significados padronizados em grande parte das imagens de propaganda e um grande número de significados nas imagens de pintura. Esses resultados permitiram exemplificar e problematizar as leituras (padronizadas ou não) das imagens e seu papel social. Os resultados comprovam que os modos de ver imagens de propagandas possuem, geralmente, seus significados previamente construídos, enquanto as pinturas, os significados são revelados no momento de ver as imagens.

Biografia do Autor

Gregorio Galvão de Albuquerque, Programa de Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH/UERJ) e Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

Professor/Pesquisador do Núcleo de Tecnologias Educacionais em Saúde e professor da disciplina de audiovisual do ensino médio da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/FIOCRUZ). Doutorando em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) com a pesquisa sobre a Educação Audiovisual como experiência na formação humana. Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF), tendo como título da dissertação: A construção do conhecimento pela fotografia: uma experiência criativa com alunos de ensino médio. Possuí Especialização em Educação Profissional em Saúde (EPSJV) e graduação em Curso de Arquivologia pela Universidade Federal Fluminense (2008). Em 2016 participou como segundo assistente de câmera do filme ?A ilha das crianças?. Fotografo still, makingof, elenco professor de natação do Filme "O homem da raia do canto"

Referências

ÁRIDO MOVIE, Lírio Ferreira, 2006.(filme)

AUMONT, Jacques. A imagem. Campinas, SP: Papirus, 1993

AUMONT, Jacques; MARIE, Michel. Dicionário Teórico e crítico de cinema. Campinas, SP: Papirus, 2003.

BOURDIEU, P. (2007). A Distinção – crítica social do julgamento. Trad. Daniela Kern; Guilherme J. F. Teixeira. Edusp, Porto Alegre, 2007.

DICIONÁRIO, Online de Português. Imagem. Disponível em https://www.dicio.com.br/imagem/. Acesso em 01 jun 2020.

SINGER, Ben. Modernidade, hiperestímulo e o início do sensacionalismo popular. In.

CHARNEY, Leo; SCHWARTZ, Vanessa R.(org). Trad. Regina Thompson. 2ed. São Paulo: Cosac Naify, 2004. p.95-123.

Downloads

Publicado

2021-07-12

Como Citar

ALBUQUERQUE, Gregorio Galvão de. “Não sei se você entende, as coisas estão ai e a gente não consegue ver, não é não consegue ver, não consegue é entender”. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 359–379, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.57267. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/57267. Acesso em: 13 abr. 2024.