O livro didático no ensino de língua estrangeira: atividades de pronúncia

Carine Haupt, Neliane Raquel Macedo Aquino

Resumo


As teorias de aquisição de linguagem nos permitem refletir sobre a prática de salade aula que temos hoje. Ao pensar nessa relação, também é necessário que o materialdisponível aos professores seja analisado. Nessa perspectiva, propõe-se neste artigo, a partirde uma breve revisão teórica sobre o interacionismo e a abordagem comunicativa, umareflexão das propostas de atividades de um livro didático em relação às atividades específicasde pronúncia em sala de aula. Tomamos como recorte para essa análise o livro Freeway(2010) – ensino de inglês como língua estrangeira (LE) – por ser o único escolhido peloMEC, e adotado por escolas públicas, que contém atividades que trabalham a pronúnciabaseadas em conhecimentos fonético-fonológicos. A relevância de se discutir esta questãoreside na importância de o aluno perceber as diferenças dos sistemas sonoros da línguamaterna e da língua alvo no processo de aquisição desta. Observamos que as atividades dolivro são pertinentes, mas não condizem com uma abordagem comunicativa, conformesugerem os autores da obra. Embora ainda haja certa distância entre o que propõe o autor e oque termina por ser realizado na prática, essas atividades de treino de pronúncia melhoram odesempenho e podem, consequentemente, auxiliar em uma comunicação efetiva.


Palavras-chave


Língua Inglesa; Livro didático; Pronúncia; Interacionismo; Abordagem Comunicativa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2014.7621

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br