Entrevista com Michel Laub

Felício Laurindo Dias, Paulo César Oliveira

Resumo


Michel Laub nasceu em Porto Alegre e vem se destacando na prosa de ficçãobrasileira contemporânea ao lado de jovens escritores que representam o que há de mais expressivo na literatura brasileira atual. O escritor e jornalista trabalhou como chefe-editor da revista Bravo!; foi coordenador do Instituto Moreira Salles e hoje produz material sobreliteratura e cultura através de seu blog e também em outras mídias. Laub publicou seuprimeiro livro, intitulado Não depois do que Aconteceu, em 1998, uma reunião de contos que marcou sua primeira aparição no mercado literário como escritor de literatura. Publicou também Música anterior (2001), Longe da água (2004), O segundo tempo (2006), O gato diz adeus (2009) e Diário da queda (2010). Apesar de o próprio autor afirmar que seu último livro, Diário da Queda, seja o seumelhor trabalho como escritor de ficção, por conta de um aprimoramento na construção desua narrativa, o conjunto de obras literárias de Michel Laub mostra uma unidade a configurar uma poética em curso. Sua obra articula tramas que dialogam, em uma unidade temática que perpassa seus romances. Em uma definição talvez redutora, é possível dizer que o ponto departida das narrativas de Laub configura um viés trágico representado nas relações interpessoais que ficcionaliza, de modo que seus personagens são obsessivos sujeitos em tensas relações com o mundo presente. Do ponto de vista da construção dramática de suaficção, essas obsessões se originam a partir de uma experiência traumática do passado, o que demanda uma “certa” narrativa da memória. DOI 10.12957/soletras.2013.7323

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2013.7323

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br