À CATA DE UM BARRETE: LITERATURA, CARICATURA E IMPRENSA NO BRASIL DE 1890

Leonardo Mendes, Nathalia Gorni

Resumo


O romance-folhetim surgiu na França em 1830 e logo se espalhoupor todo o mundo. O novo gênero era um produto da imprensa da era industrial.Os romances vinham publicados de forma fracionada nas reediçõesdiárias dos jornais, tradicionalmente no rodapé da primeira página.Este espaço fora criado como um “vale-tudo” para a publicação de receitas,crônicas, contos, notícias fantasiosas, histórias de monstros etc. Era,portanto, um espaço reservado para o divertimento. Nas palavras da pesquisadoraMarlyse Mayer, o folhetim “tinha uma finalidade precisa: eraum espaço vazio destinado ao entretenimento” (MEYER, 1996, p. 57).Apesar de ter surgido em 1830, o gênero só chegou ao Brasil trezesanos mais tarde, em 1843, com a publicação da obra Les mystères deParis, por Eugène Sue (1804-1857). Nessa década, não havendo aindauma produção representativa em português, era o folhetim francês – emtradução –, que circulava no Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2011.5713

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br