Narrativas curtas de Émile Zola: aspectos da recepção da obra do escritor no Brasil entre 1860 e 1914

Eduarda Araújo da Silva Martins, Pedro Paulo Garcia Ferreira Catharina

Resumo


Neste artigo, ao mapearmos as narrativas curtas de autoria do escritor francês Émile Zola (1840-1902), entre 1860 e 1914, publicadas em periódicos das regiões Norte e Nordeste do Brasil, buscamos destacar, no âmbito da obra do escritor, um conjunto de textos geralmente colocados em segundo plano em relação à sua produção romanesca naturalista, estética e simbolicamente mais valorizada pela crítica e pela pesquisa acadêmica. Este artigo apresentará, portanto, uma análise das características estéticas de parte desses contos e novelas, frequentemente associados a uma fase romântica e juvenil do escritor, no intuito de destacar seu lugar como parte constitutiva da obra de Zola. Através da pesquisa de fontes, pela recuperação de textos literários do passado inseridos nos modos de funcionamento da imprensa brasileira oitocentista, acrescentamos novos dados sobre a recepção de Zola no Brasil, trazendo à luz traços dos gostos e preferências dos leitores brasileiros do século XIX e início do século XX.


Palavras-chave


Contos e novelas. Émile Zola. Naturalismo. Imprensa brasileira. Recepção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2020.51401

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br