Escrita conjunta: participação, negociação e escolhas no processo de construção de uma resenha acadêmica

Márcia Helena de Melo Pereira, Anne Carolline Dias Rocha Prado

Resumo


Em toda sua obra, Mikhail Bakhtin evidencia a importância do outro na comunicação discursiva. Segundo o autor, todas as manifestações e relações da vida humana são atravessadas por relações dialógicas e a linguagem só existe na comunicação dialógica entre um eu e um outro, um falante e um ouvinte. Para ele, o outro é quem orienta a enunciação, pois as escolhas linguísticas dos interlocutores são feitas sob influência do destinatário e sua resposta antecipada. Trata-se da perspectiva dialógica da linguagem, cerne de toda discussão empreendida por Bakhtin (2011a; 2011b; 2011c; 2014; 2018). É a partir dela que buscaremos, neste artigo, compreender como acontece a escrita conjunta no processo de construção de uma resenha acadêmica escrita por duas duplas de estudantes universitários, observando as estratégias de negociação utilizadas, as escolhas linguísticas que fazem e a participação efetiva de cada indivíduo durante a produção textual, com vistas a verificar de que maneira um influencia o outro nesse processo. De modo geral, o que nossas análises mostraram é que a escrita conjunta só acontece efetivamente quando há contribuição, participação e escolhas de todas as partes, ainda que uma delas sobressaia em relação a outra.


Palavras-chave


escrita conjunta. dados processuais. resenha

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2020.45846

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br