Literatura cabo-verdiana em trânsito

Norma Sueli Rosa Lima

Resumo


Exame da literatura cabo-verdiana na representação de sua especificidade crioula em contato com outras culturas, a europeia e a brasileira, na busca de indagar o Outro enquanto contraponto adverso ou de seu próprio reflexo. As problematizações dessas representações se fizeram com o exame do diálogo, do ponto de vista da perspectiva diaspórica que irá reconfigurar os lugares das identidades em diferentes contextos e espaços, a partir da construção/deconstrução dos parâmetros eurocêntricos com Achille Mbembe, Kabengele Munanga, Walter Mignolo, Pires Laranjeira e Alberto Costa e Silva, entre outros a fim de se verificar a conexão entre os espaços. A conclusão é o projeto estético-histórico que uniu Cabo Verde ao Brasil, principalmente desde o Modernismo Brasileiro até à atualidade, na perspectiva que colocou em evidência o elemento africano, que se deslocou e se transformou em diferentes realidades.


Palavras-chave


Literatura cabo-verdiana, literatura brasileira

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2019.43347

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br