Mulheres descobertas no lixo

Lúcia Bettencourt

Resumo


O presente artigo busca, pelos caminhos da memória, refletir sobre mulheres autoras esquecidas e resgatadas em locais de descarte. A partir de uma visita ao Cemitério dos Pretos Novos, na Gamboa, zona portuária do Rio de Janeiro, e da atenção voltada para uma exposição de rostos femininos desconhecidos e idealizados é que se desenvolveram os questionamentos sobre os motivos que levaram (e levam) tantas mulheres a serem silenciadas e olvidadas. Assim, num entrelaçamento de personagens femininas da literatura brasileira do século XIX e de escritoras mulheres (do século XIX ao XX), o artigo discute como as relações de gênero, mas também as de raça, influenciaram a construção e formação de um cânone histórico e literário.

DOI: 10.12957/soletras.2017.31308

 


Palavras-chave


Memória; esquecimento; mulheres; negritude.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2017.31308

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br